O PASTOR E O JARDINEIRO

Há uma relação muito interessante entre a tarefa pastoral e o trabalho do jardineiro. Sabemos que a figura do pastor foi tirada do campo, do cuidado das ovelhas. O pastor cuida das ovelhas e o jardineiro cuida das plantas. Tanto ovelhas como plantas precisam de cuidado amoroso, pois são seres vivos que o Pai criou com amor. O pastor cuida das ovelhas e o jardineiro, das plantas. Há áreas de atuação – rebanho e jardim. As ovelhas precisam ser alimentadas e dessedentadas e as plantas precisam de adubo e água. O pastor leva as ovelhas às águas tranquilas para dessedenta-las e o jardineiro rega as plantas porque nos dois casos a água é essencial para a sobrevivência. O pastor retira a lã das ovelhas e carne para o seu sustento. O jardineiro cuida das plantas para dar alegria aos donos do jardim e recebe com dignidade o seu sustento. Quanto mais belo o jardim mais valorizado será o jardineiro, mais reconhecido será o seu trabalho e mais integridade revelará. Sabemos que nos dois casos há feridas, há risco. O pastor pode se ferir no pastoreio, enfrentar as feras, os predadores, e o jardineiro ferido por algum espinho ou picado por algum animal peçonhento escondido no meio das plantas.

O jardim bem cuidado precisa de água, adubo, poda, sol e a plantação de novas plantas, terra bem preparada. O jardim é multicolorido ilustrando a multiforme sabedoria de Deus na vida do Seu povo. O jardim exala o bom perfume. Nós como ovelhas do Senhor, devemos exalar o bom perfume do Supremo Pastor: “Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, tanto entre os que estão sendo salvos como entre os que estão perecendo” (2 Coríntios 2.15). A Igreja de Cristo deve ser como um jardim regado, amorosamente cuidado – plantas bem plantadas vivendo em harmonia. Povo bem alimentado com a Palavra. O oxigênio é essencial tanto para as ovelhas quanto para as plantas sobreviverem. O oxigênio é o amor de Deus revelado em Cristo Jesus. Nem ovelhas e nem plantas sobrevivem sem ele. Assim como as ovelhas e as plantas, os crentes precisam ser amados, encorajados e edificados no temor do Senhor. Bem alimentados, bem cuidados podem reproduzir.

Como obreiros, somos chamados para cuidarmos das pessoas como o pastor cuida das ovelhas e o jardineiro das plantas, realizando a tarefa com profundo amor. Ser pastor de ovelhas e ser jardineiro é uma questão de vocação, isto é, deve dar prazer, deleite. Não podemos deixar de cuidar das pessoas, como pastor não pode deixar as ovelhas soltas pelo campo e vulneráveis aos predadores, e nem o jardineiro o jardim largado ou abandonado, sem cuidado, tomado pelo capim, pelas ervas daninhas.

O Senhor nos chama a um compromisso muito sério e urgente para cuidarmos do Seu rebanho e do Seu jardim, recolhendo no curral e cercando. Há uma linda promessa de Deus para o povo de Israel na sua restauração: “Virão e cantarão de júbilo nos lugares altos de Sião, ficarão radiantes de alegria por causa da bondade do Senhor: o trigo, o vinho e o azeite, os cordeiros e os bezerros. Serão como um jardim regado e nunca mais sofrerão” (Jeremias 31.12). Quando Jesus voltar, verá as pessoas que redimiu com o Seu sangue como um rebanho e um jardim cuidados, protegidos e alimentados com amor. Ovelhas e jardim muito bem cuidados refletem o caráter do pastor e do jardineiro. Jesus é o nosso exemplo de pastor e jardineiro. O nosso desafio é sermos semelhantes a Ele na execução da tarefa tão preciosa que o Pai lhe deu.

OSWALDO LUIZ GOMES JACOB, pastor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.