Ministérios Estranhos!

Vivemos num tempo de incredulidade, pragmatismo, esperteza, frieza, negociatas, mentiras, mercantilismo da fé, ganância e teologia larga e rasa em muitos ministérios. Líderes que fazem cursos de persuasão, coach, de como fazer a igreja bombar, como atrair muita gente. Cursos de marketing pesado e apelativo. Esses líderes de ministério não estão interessados em exposição bíblica, oração, discipulado, visita aos crentes e não crentes, atos de misericórdia e missão verdadeiramente integral. Ministérios estranhos esses, envolvidos em política partidária, conluio com políticos visando o estrelismo ou o pódio, bem como outras vantagens. Eles oferecem os púlpitos e as plataformas para políticos falarem à igreja como se cristãos fossem. Uma bajulação que causa asco. São homens e mulheres estranhos ao genuíno Evangelho. Ministérios estranhos quando enaltecem os políticos e fazem lobby no congresso.

Sim, ministérios estranhos que têm medo da perseguição que os aguarda e provarão sua veracidade ou não (Mateus 24.9-13). Como temos ministérios que usam os púlpitos para pregar filosofia, esoterismo, judaísmo, psicologia, positivismo, confissão positiva, humanismo, filosofia política seja de esquerda ou de direita que dividem partidariamente os membros da comunidade da graça. Chamam isso de contextualização. Os ministérios estranhos apoiam o divórcio com maior naturalidade, aceitando a separação dos cônjuges por "incompatibilidade de gênios". Na perspectiva do sustento, esses líderes estão com a corda na barriga e não no pescoço. Para eles, o ministério é profissão e não vocação.

Temos constatado ministérios estranhos dos gritos, do histerismo, da falta de equilíbrio e uma vida cristã baseada em emoções. Ministérios estranhos esses sem ética, sem convicções profundas. Sem a vida de Cristo derramada em suas atitudes e em seus atos. Ministérios comprometidos com a vaidade, o estilismo, estrelismo e o hedonismo. Sim, posturas centradas no humanismo e não no Senhor Jesus. Temos notado ministérios mergulhados no autoritarismo e na carnalidade. Que o Pai nos livre de ministérios estranhos e nos conceda ministérios transparentes, sólidos, piedosos, generosos, humildes, mansos, verdadeiros, coerentes, centrados em Cristo Jesus e com a Sua autoridade. Ministérios caracterizados pelo domínio do Espírito Santo. Ministérios da Palavra e de palavra. Ministério que, acima de tudo, glorifiquem a Deus!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.