INVEJA, UMA OBRA DA CARNE

Li algures a seguinte frase: ‘A inveja é a arma dos incompetentes’. A pessoa doente do coração sente inveja dos outros. O desejo de possuir as coisas ou a posição do próximo é um sentimento maldoso, faccioso e pernicioso. A palavra grega para inveja no texto de Gálatas 5.21, é psitónos: ‘o desejo de se apropriar do que as outras pessoas possuem. Também, refere-se ao desejo de estar tão bem quanto o outro, e a palavra neste verso 21, refere-se ao desejo de privar o outro do que ele tem (Rienecker e Rogers, pp. 382,383). Para o filólogo Francisco Azevedo, “é invidia, desejo violento e pecaminoso, despeito, ciúme, zelotipia, emulação, rivalidade, antagonismo, luta, contenção, concorrência, cobiça, avidez/sede/fome/interesse/ganância (pelo que é alheio), misto de desgosto e ódio, invejoso, desfazedor, ambição desenfreada” (Dicionário Analógico da Língua Portuguesa, Rio de Janeiro, Lexicon, p. 446).

A inveja é um substantivo que substancia uma cardiopata herdada der Adão. Significa um desejo de possuir um bem que pertence ao outro. É um sentimento de inferioridade e de desgosto diante da felicidade do outro. É um sentimento de cobiça da riqueza, do brilho e da prosperidade alheia. A inveja é o desejo constante que algumas pessoas sentem ao almejar a todo custo as conquistas da vida alheia, é desejar o que o outro possui ou realiza. A inveja está intimamente ligada ao ciúme, no momento que produz desgosto ou tormento ao indivíduo que almeja possuir algo que pertence a outro indivíduo. A expressão popular dor de cotovelo é usada para indicar que alguém está com inveja ou ciúme do outro, pois perdeu algo ou alguém para outra pessoa (www.significados.com.br).

A inveja adoece e consome a pessoa que a possui. Torna a pessoa fria, calculista e voltada para as coisas materiais. Invejar alguém é sinal de fraqueza moral, disfunção emocional, distúrbio psíquico e uma profunda ansiedade. A inveja é produto de uma anomalia do coração. A mente do invejoso é apequenada, dividida e voltada para acumular coisas, para o prazer pelo prazer. A inveja traz consequências danosas para o que a detém atingindo a família. A inveja destrói o casamento, divide os amigos, traz muito desconforto na comunidade eclesial e não glorifica a Deus. Aliás, envergonha o evangelho. O invejoso deseja as coisas fáceis. Possui a doença do coração que é apegar-se às coisas materiais, sendo escravos delas. O invejoso não tem prazer no progresso dos outros. Sua filosofia é quanto pior, melhor. Não permitamos que a inveja seja praticada em nossa igreja. Que nos alegremos profundamente com a performance positiva dos nossos irmãos ou de qualquer pessoa.

Não nos esqueçamos: o invejoso prejudica-se assim mesmo e a todos com os quais convive. A pessoa tomada de inveja é de difícil relacionamento seja na igreja, na empresa ou em qualquer outro ambiente. Geralmente ela é uma crítica ferina. Julga os outros. Não se alegra com os que se alegram. A pessoa invejosa é amargurada, ressentida e raivosa. Sabemos que Caim matou o seu irmão Abel movido por inveja (Gn 4.5-8). A cura para a inveja é a centralidade de Cristo no coração. Pela regeneração, é a troca da natureza de Adão pela natureza de Cristo. A partir dessa experiência, a pessoa passa a viver o fruto do Espírito: “amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, amabilidade e domínio próprio” (Gl 5.22,23). Agora, não mais vive em função das obras da carne, mas sob o domínio do Espírito Santo, vivendo o Seu fruto a cada dia. Não vive mais para si mesma, mas para a Glória de Deus!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.