DISCÍPULO CRIATIVO

O discípulo do Senhor Jesus é sempre criativo. Sendo aluno do Mestre Criador, o discípulo não pode ser diferente. Paulo foi um discípulo criativo e empreendedor. Percebemos claramente alguns traços distintivos da sua criatividade: visão, treinamento de pessoas, compromisso com a missão de Cristo e constante aperfeiçoamento. Sem dúvida, Paulo é um exemplo de discípulo comprometido com Cristo às raias da morte (2 Co 6.4-10). Ele foi criativo do princípio ao fim. Ele possuía uma paixão apostólica. Detinha um DNA missionário. O seu coração estava integralmente focado na expansão do Reino a partir do Oriente (Jerusalém) chegando ao Ocidente (Roma), sem impedimento algum (Atos 28.31). Era um homem comprometido com a excelência da missão.

No seu encontro com os pastores de Éfeso, na cidade de Mileto, ele testemunhou: “Mas em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que eu complete a carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus” (Atos 20.24). É impressionante nesse discípulo criativo a consciência bem amadurecida da missão que ele recebeu de Cristo (Atos 9.15,16; 1 Co 9.16). O aprendiz criativo é um visionário. Como o Senhor Jesus ensinou, ele vê os campos que estão brancos para a ceifa (João 4.35). Há um compromisso com a expansão do evangelho em todo o mundo. Ele não retrocede, mas avança, olhando sempre para Jesus, o Autor e o Consumador da fé (Hb 12.1,2).

O discípulo, à semelhança de Paulo, tem estratégia. Ele tem um plano de trabalho e o executa com destreza. Ele semeia a palavra, ora pelas pessoas que a receberam e mantém contato com elas. O seu relacionamento é criativo. Ele não perde o foco. A sua estratégia está fundamentada no seu compromisso com Cristo Jesus. Uma das suas mais vigorosas estratégias é o treinamento de pessoas e o seu estimulo a esse ministério. Foi isso que ele fez com os líderes Timóteo, Tito, Epafrodito, Silas e tantos outros. O seu compromisso era preparar pessoas para a obra do ministério. Treinar pessoas para ensinarem a outras. Não existe sucesso sem sucessor. O discípulo criativo é movido pela paixão missionária.

O aprendiz criativo tem como meta o aperfeiçoamento constante. Preso em Roma, o apóstolo Paulo pede a Timóteo os seus livros, pergaminhos que ele havia deixado em Trôade, na casa de Carpo (2 Tm 4.13). O discípulo de Jesus nunca para de aprender. O seu aprendizado é constante e prazeroso. Aprende para poder ensinar, pois quem para de aprender cessa de ensinar. Aquele que não fica sentado para aprender não pode ficar em pé para ensinar. Ele tem consciência de que a sua capacidade vem do Senhor (2 Co 3.5). Vale a pena ser um discípulo criativo. É valioso demais ser discípulo do Mestre que deu a Sua vida por nós! O Senhor Jesus espera que sejamos discípulos criativos para a edificação da Igreja, para a salvação dos perdidos e para a Glória de Deus Pai!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.