QUIETUDE

Permanecermos quietos diante do Senhor é um grande desafio a cada dia. Há grandes obstáculos que nos impedem de descansar, de estar quietos, serenos, tranquilos de espírito, em paz e em sossego. Encontramos lutas ferrenhas contra a serenidade, contra o descanso. O Salmo 46.10, diz: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra”. No hebraico, “aquietar-se” é estar em silêncio, relaxado e em retiro, confiando plenamente no Senhor[1]. Vivemos na maioria das vezes na contramão do ensino das Escrituras, dos ensinos do Senhor Jesus. Somos ansiosos, agitados, nervosos, inquietos e impacientes. A nossa suficiência deve estar em Cristo. Devemos olhar para Ele e andar como Ele andou (1 João 2.6).

Neste mundo, “a guerra e a destruição são inevitáveis, mas também o é a vitória final de Deus. Nesse momento, todos permanecerão em silencio ante o Deus Todo-Poderoso. Quão oportuno é para nós estar quietos honrando e reverenciando Seu poder e Sua majestade. Dediquemos cada dia o tempo necessário para permanecermos quietos e exaltando a Deus”.[2] Jesus nos ensina a permanecermos nEle. Ele disse: “sem mim nada podeis fazer” (João 15.5). O segredo da vitória é permanecer em Cristo porque assim o Pai se agrada. Permanecer em Cristo seja qual for a circunstância. Ele prometeu estar conosco todos os dias até à consumação dos séculos (Mt 28.20).

As pessoas estão com depressão, ansiedade e pânico em função de uma vida voltada para as coisas desta terra. Estão preocupadas com trabalho, desemprego, doenças, violência e aparência ou estética. Elas focam os problemas, mas não têm a atenção devida ao Senhor. Muitas vivem na incredulidade e apegadas às coisas materiais. Buscam segurança nessas coisas. O segredo da quietude é olhar para o alto, para as coisas de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensar nas coisas do alto (Cl 3.1-4).

Jesus apreciava a quietude. Ele ia para lugares ermos para buscar a vontade do Pai. No Getsêmani, Ele se derramou perante o Pai. A vontade do Pai era o centro da Sua vida (Mt 26.42). A quietude da alma, o seu descanso em meio a agitação desta vida, é resultado da centralidade de Deus Pai no coração, na vida. Foi isto que Jesus ensinou ao dizer: “Mas buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas” (Mt 6.33). Paulo ensina a não ficarmos ansiosos por coisa alguma, mas apresentar nossas lutas, carências e preocupações diante do Senhor (Fil 4.6). O resultado está no verso 7: “e a paz de Deus, que ultrapassa todo entendimento, guardará o vosso coração e os vossos pensamentos em Cristo Jesus”. Isso é maravilhoso, reconfortante e muito animador!

Seja o que o for que você esteja passando, aquiete-se diante de Deus em oração adorando, confessando, agradecendo e intercedendo. Descansa e espera nEle (Sl 37.7). Ele trabalha para aqueles que nEle esperam, confiam (Is 64.4). Não se exaspere, não se esforce inutilmente, não se apoie no seu próprio entendimento, não fique ansioso pelo seu problema, mas descanse em Deus. Como ensina Davi, rei de Israel, “entrega o teu caminho (hb. o teu modo de agir no curso da vida) ao Senhor, confia nEle e Ele agirá” (Sl 37.5). Deus, nosso Pai, é glorificado quando ficamos quietos diante dEle.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.


[1] Bible Word, versão eletrônica, consultada em 02.10.2015, às 14h30.

[2] Ibid.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.