QUE TIPO DE PESSOA VOCÊÉ?

Alguém já afirmou categoricamente que há três tipos de pessoas neste mundo: pequena, média e grande. Achei muito interessante a afirmação. Pensei: é verdade! Partindo da referida afirmação, podemos discorrer acerca destes três tipos de pessoa na sociedade hoje. Num mundo tão complicado vemos as pequenas e as médias pessoas dominando, estabelecendo o tom. Sabemos que a pequena pessoa fala de pessoas de forma negativa, semeia discórdia, usa de maledicência, politicagem. A média pessoa fala de coisas e tem o foco em carros, casas, roupas de grife, consumismo, celular, IPad, jogos de computador, futebol, UFC e status. A grande pessoa discorre acerca de projetos que contribuam para ajudar substancialmente o povo, são solidárias e servidoras, são proativas e geradoras de mudanças positivas na sociedade visando sempre o bem comum. São despidas de si mesmas. Agora, vejamos detalhadamente as diferenças entre a pequena pessoa, a média pessoa e a grande pessoa.

A pequena pessoa vive em função de falar mal dos outros, semear contendas, insatisfação, confusão e insegurança nos relacionamentos. É terrorista que causa destruição das amizades e compromete a família, o ambiente de trabalho e quaisquer outros grupos onde está inserida. A pequena pessoa tem uma disfunção emocional muito séria. Está doente emocional, moral e espiritualmente. Está praticando obras da carne (Gl 5.19-21). A especialidade desta pessoa é prejudicar o próximo, esquecendo-se que prejudicará a si mesma. O veneno que ela espalha vai voltar para a si mesma. Ou seja, ela toma o próprio veneno. Diz a Palavra de Deus que o Senhor abomina “o que semeia inimizade entre irmãos” (Pv 6.19). A pequena pessoa deve ser evitada (se ela não quer mudar de atitude), pois o Senhor declara: “Quem vive falando revela segredos, por isso, não te envolvas com quem fala demais” (Pv 20.19). O Senhor continua falando: “O mexeriqueiro, o que fala de mais, revela segredos, mas o fiel de espírito guarda segredo” (Pv 11.13). É muito pequeno falar da vida alheia, fazer comentários maldosos, que denigrem as pessoas. Jesus nos ensina: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque sereis julgados pelo critério com que julgais e sereis medidos com a medida com que medis. Por que vês o cisco no olho de seu irmão e não reparas na trave que está no teu próprio olho? (Mt 7.1-3). É muito triste lidar com uma pequena pessoa e ainda mais com um grupo de fofoqueiros, de pequenas pessoas! Geralmente a pessoa que leva e traz não é amiga. Não conviva com gente assim. Não deixe entrar em sua casa, a não ser que haja mudança de atitude. O apóstolo João se refere a um tal de Diótrefes, de Éfeso, que proferia palavras insensatas e maldosas contra ele (3 João 10). Que o Pai nos livre de sermos esta pequena pessoa!

A média pessoa também é de difícil convivência, pois só fala de coisas, de bens materiais, prosperidade material, roupas de marca, carros, comenta acerca do carro que o outro comprou, fala demais de futebol, internet, viagens, artistas, novelas, etc. A média pessoa está preocupada com o seu desempenho financeiro e com a sua desenvoltura profissional. Focada no sucesso da família. Geralmente a média pessoa é desatenta em relação às coisas mais profundas, às coisas espirituais, às campanhas de ajuda aos necessitados. A média pessoa está mais preocupada com o seu emprego, com o seu status profissional do que com qualquer outra coisa. Este tipo de pessoa olha muito para a aparência e não para o coração. É estilista. É o tipo de pessoa dispersa, que não lê e não tem interesse em assuntos que a levam para a reflexão, para um olhar introspectivo. Aprecia as revistas que falam dos ricos, de moda, de carros, e gosta de novelas. Gasta o seu dinheiro naquilo que não é pão, naquilo que não pode satisfazer o coração. Portanto, a média pessoa está focada no que se pode ver, com as coisas desta terra, na contramão das coisas do alto (Cl 3.1-4). A média pessoa vive pelo ter e não pelo ser.

A grande pessoa é aquela que está focada em projetos, movimentos e mobilizações para a mudança positiva da sociedade. Esse tipo de pessoa geralmente é proativo. É agente de transformação. O seu interesse é ajudar pessoas pobres, organizações humanitárias, juntas missionárias, crianças em alto fator de risco. A grande pessoa promove a melhoria da qualidade de vida da população nas áreas de saúde, educação, segurança, transporte, meio ambiente e toda uma gama de demandas da sociedade. Geralmente é solidária e desapegada das coisas materiais. Segue a Pessoa de Jesus Cristo, o nosso modelo de Grande Pessoa. Afirmo que é difícil encontrar uma grande pessoa. Geralmente encontramos muito mais pessoas reativas do que proativas. Nós temos alguns exemplos de grandes pessoas: Francisco de Assis, Martinho Lutero, William Wilberforce, Blaise Pascal, William Carey, John e Charles Wesley, Charles Spurgeon, Alexander Fleming, C. S. Lewis, Martin Luther King, Maria Tereza de Calcutá, Charles Colson, Billy Graham, Bob Pierce (fundador da Visão Mundial Internacional), Bernard Kouchner (médico francês, fundador da organização humanitária Médicos sem Fronteiras), e muitos outros. Homens e mulheres que foram grandes pessoas, que deixaram suas marcas indeléveis. Dou graças a Deus pelas grandes pessoas! Não posso dizer o mesmo das pequenas e médias pessoas.

O nosso grande desafio é sermos grandes pessoas que fazem toda a diferença neste mundo. Lendo os evangelhos, especialmente, aprendemos com a Grande Pessoa – o Senhor Jesus – a servir e a influenciar positivamente. Somos chamados à mudança do nosso contexto imediato. Devemos ser formadores de grandes pessoas, de cidadãos que fazem toda a diferença. A meditação nas Escrituras, a leitura de biografias, de leitura de livros de grandes pessoas e a convivência com elas, certamente contribuirão para que sejamos grandes pessoas, conformadas com Cristo e inconformadas com o mundo. Conformadas com a justiça e a verdade, e inconformadas com a injustiça e a mentira ou o erro. Que Deus nos livre de sermos pequenas e médias pessoas, nos livre de recebermos sua influência, mas nos dê a graça de aprendermos com as grandes pessoas, que nutrem amor a Deus e ao próximo. Não glorificamos a Deus sendo pequenas e médias pessoas, mas sendo grandes pessoas. Prossigamos no caminho da mudança de mentalidade e de percepção. Sejamos grandes pessoas, filhos de um Grande Deus, Bendito eternamente! Respondo à pergunta-tema dizendo que aspiro ser uma grande pessoa para abençoar o meu próximo e, acima de tudo, para glorificar a Deus, nosso Pai!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.