“PERDEMOS A SAÚDE PARA TER DINHEIRO”

Esta foi a afirmação da modelo gaúcha Andressa Urach, recentemente internada em estado grave num hospital de Porto Alegre, e chegou a respirar com a ajuda de aparelhos, em razão de ter aplicado hidrogel na perna. Declarou que errou muito ao permitir este procedimento. Ela ganha dinheiro através de “ensaios” sensuais e em programas que enfatizam a exposição de sua beleza. A afirmação da modelo revela a realidade de artistas, celebridades, que estão muito preocupados com o exterior. Para eles, o importante é impressionar pela beleza, através de um corpo “sarado”. O corpo virou uma mercadoria de exposição e se ganha muito dinheiro com isso. A nossa sociedade está estigmatizada pela expressão exterior. Neste país gasta-se muito dinheiro com estética. Há muita gente bonita, com o corpo em plena forma, mas desajustada, com doenças psíquicas e emocionais, procurando psicólogos, analistas e psicoterapeutas. A nossa sociedade é narcisista, vazia, vaidosa, consumista e estilista. A nossa convicção bíblica é que Deus não vê como vê o homem. Este olha para o exterior, mas o Senhor examina o coração, conhece profundamente as nossas entranhas e as intenções dos porões da nossa consciência (Sl 139).

Vivemos numa sociedade que considera muito importantes a aparência, a riqueza, o sexo e o poder. A sociedade está doente do coração, com uma cardiopatia congênita que adquiriu em Adão, no Éden, pela sua desobediência a Deus. De lá para cá o homem tem buscado freneticamente o entretenimento como uma forma de anestesiar a sua consciência em relação ao pecado, a sua realidade distante de Deus. O homem é capaz de fazer coisas inimagináveis para justificar seus desejos. Vivemos numa sociedade que premia a beleza, a inteligência, o forte e a esperteza. Este mesmo grupo alija os “feios” e os “fracos”. As fronteiras éticas têm sido abrindo caminho para justificar a ganância, a busca desenfreada pelo prazer. A imagem do homem ou da mulher bem-sucedido é a de roupas e sapatos de grife, carros e casas luxuosos. Tudo se esconde atrás da aparência e da ostentação. As meninas-modelo, as manequins, não se alimentam de forma correta para ficarem bem magras e, assim, satisfazer seus chefes, expondo as roupas luxuosas. Vão se definhando e ficam doentes física e emocionalmente.

O dinheiro deve ajudar a saúde e não prejudicá-la. A modelo Andressa está coberta de razão. Cremos que ela aprendeu a lição de não sacrificar o seu corpo para se obter mais dinheiro. A saúde é mais importante. Muito mais relevante do que a saúde física, porém, é a saúde tríplice, espiritual-ética-emocional. Esta saúde está em Cristo Jesus, Aquele que morreu por nós (Rm 5.8). Somente em Cristo Jesus o homem é capaz de ter o verdadeiro prazer e o verdadeiro poder. Prazer em Deus e poder do Espírito Santo. E é por meio de Cristo que os conhecemos. A nossa satisfação está em Jesus Cristo, nosso Salvador e Senhor. Nele existimos e nos movemos, pois sem Ele nada do que foi feito (toda a criação, todas as coisas) se fez (João 1.3). Ele é antes de todas as coisas e nEle todas elas subsistem (Cl 1.16).

É importante ressaltar que quando o dinheiro se torna o senhor de nós, estamos dispostos a fazer qualquer coisa por causa dele e até perder a saúde. Diz o apóstolo Paulo que “o amor do dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores ou tristezas e aflições (1 Tm 6.10). Foram estas dores que a modelo sentiu e foi para a UTI. O que realmente vale a pena é viver Cristo à semelhança de Paulo quando declarou: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fil 1.21). O mesmo Paulo testemunha que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação ou circunstância (Fil 4.11). A vida de Cristo é a razão da nossa vida. Seguir e servir a Cristo fazem parte do projeto mais fascinante de vida. Quem está em Cristo se alegra com a sua aparência, cuida da saúde, faz exercícios, porque o corpo é templo do Espírito Santo e Deus deve ser glorificado nele (1 Co 6.19,20). Glorifiquemos com o nosso corpo o nosso Pai Criador e Autor da nossa salvação. Realmente, como assinala a modelo Andressa, não vale a pena perder a saúde por causa de dinheiro. O que realmente vale a pena é perder o controle da nossa vida e dá-lo a Cristo Jesus, nosso Senhor! Ele deve ser sempre o centro do nosso viver. É nesta realidade de vida que o dinheiro deixa de ser senhor para ser servo.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.