A FAMÍLIA E AS DROGAS

 

Sabemos que família e drogas não se combinam. Estão em posições opostas. Há famílias que foram destruídas pelas drogas. O meu pai era um homem viciado. É bem verdade que o uso e o tráfico são inimigos mortais do lar. Pais estão sofrendo por terem seus filhos como usuários e como traficantes. Tenho acompanhado o caso do filho de uma senhora da Igreja. Que sofrimento para esta mulher! O bom é que ele está em uma Clínica de Recuperação. Sabemos que há uma ação orquestrada pelo inimigo das nossas almas para envergonhar, desestabilizar e destruir a família. Jesus já havia advertido em João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. As drogas são destruidoras e desagregadoras. É impressionante o número de adolescentes e jovens mergulhados nos entorpecentes e, como conseqüência, na pornografia, no furto e na violência. Muitos deles estão nas casas de recuperação, abrigo para menores infratores e outros nas penitenciárias. Um sem número dando muito trabalho a seus pais. Vivem na rebelião, nas ruas, contrariando frontalmente o ensino bíblico acerca da submissão e obediência aos pais (Ef 6.1-3).

Há pais em nossas igrejas assustados e outros em pânico pela situação de filhos que estão experimentando drogas. Eles não estão sabendo lidar com esta nova situação. Em muitos casos os pais foram ausentes e não sabem com quem os filhos ou as filhas andam. Não os monitoram e quando o fazem revelam imaturidade ou ingenuidade. Em outras situações, pais que trabalham muito e não têm tempo para os filhos. Muitos deles despreparados tanto para a paternidade quanto para a maternidade. Outros, são os avós que criam e, muitas vezes, são permissivos ou negociam por ficarem com pena dos netos sem assistência dos seus progenitores. Na verdade, há uma falta de comunicação e planejamento na criação dos filhos.

Está faltando em nossos lares uma espiritualidade bíblica aliada à disciplina. Quando olhamos para Provérbios 22.6 e Hebreus 12.6, podemos fazer uma conexão segura para uma educação bem sucedida. Educar é ensinar princípios sólidos do bem viver a partir da Palavra de Deus (Pv 22.6). É colocar limites claros. Ser firme nas decisões. Saber dizer NÃO. Educar significa dialogar, viver a informalidade criativa. O texto de Deuteronômio 6.1-8 é muito esclarecedor quanto à educação dos filhos. Pais disciplinados criam filhos também disciplinados. Quando educamos o fazemos para o Senhor e para a vida. Não criamos filhos para nós, mas para serem bênçãos no mundo, influenciando positivamente e não sendo influenciados negativamente. Os pais cristãos precisam ensinar os seus filhos, a partir de seu exemplo, a amarem a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmos (Mt 22.34-40). Quando os pais vivem para a Glória de Deus, os seus filhos serão uma benção dentro e fora do lar! Viverão para a Glória de Deus!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.