PALAVRAS QUE CURAM

Deus nos fez novas criaturas em Cristo Jesus para O amarmos de todo o nosso coração, de toda a nossa alma e de todo o nosso entendimento e com todas as nossas forças e ao próximo como a nós mesmos (Mt 22.34-40). O Seu amor por nós nos motiva a amar o nosso próximo. A natureza de Deus é amor (1 João 4.8). Aprendemos com Ele a amar e a perdoarmos com o Seu perdão. Nossas palavras devem ser carregadas de remédio que cura. Como é maravilhoso podermos semear palavras de amor e carinho; perdão e graça; justiça e verdade; aceitação e alegria; gratidão e fidelidade. O nosso falar deve ser sempre temperado com sal para edificar o outro. O que falamos deve ser fruto de um coração amoroso e perdoador.

Palavras que curam são coerentes e devem ser colocadas no momento certo, a partir do coração centrado em Cristo Jesus (Pv 15.1). Aprendamos com o Senhor Jesus a falar os termos certos, que atinjam as várias dimensões do outro. Que as palavras ministradas sejam carregadas de unção que irão ajudar o aflito, aliviar o peso do cansado, orientar o perdido e levantar o caído como fez o Samaritano na parábola contada por Jesus (Lc 10.25-37).

Não podemos perder a oportunidade de ministrar a cura por meio de Cristo àqueles que precisam. Verbalizarmos sentimentos sinceros, honestos e carregados de amor é um desafio diário. Dizermos às pessoas que Deus as ama é um privilégio, uma honra. O Pai é glorificado à medida que compartilhamos o Seu plano redentor revelado em Cristo Jesus, Seu Filho, antes dos tempos eternos. Narrarmos os grandes feitos de Deus na História a favor do homem é maravilhoso. Falarmos às pessoas coisas que edificam é um ministério sublime.

Utilizemos palavras que são um remédio poderoso. Aproveitemos todas as oportunidades que nos são dadas pelo Senhor para repartirmos o Seu amor e perdão. Expressemos sinceramente a nossa afetividade e aceitação amorosa. Sejamos imitadores do Mestre que sempre falou palavras construtivas. Aprendamos com Jesus a confrontar as pessoas com amor incondicional e a olharmos para elas cheios de compaixão. Palavras que curam são aquelas que chegam ao coração. Elas são de coração para coração. O seu ambiente é o da graça salvadora.

Palavras curativas vêm da nossa experiência com Cristo Jesus. A nossa nova natureza em Cristo nos motiva a trabalhar como agentes curadores. O nosso desafio é criarmos ambientes de amor e aceitação. Desenvolvermos uma comunidade terapêutica cujo Médico é o Senhor Jesus. É neste contexto que as pessoas são motivadas a rasgar o coração, expor o seu interior com confiança. O ambiente da cura deve ser ético, pois há de preservar a sinceridade e a confiança das pessoas. É na confiança do amor fraterno que as decepções e mágoas são compartilhadas. A cura é real à medida que Cristo se torna a razão das ações terapêuticas. Busquemos os feridos para que sejam curados pelo Senhor. A orientação de Paulo é muito segura: “Toda amargura, cólera, ira, gritaria e blasfêmia sejam eliminadas do meio de vós, bem como toda maldade. Pelo contrário, sede bondosos e tende compaixão uns para com os outros, perdoando uns aos outros, assim como Deus vos perdoou em Cristo” (Ef 4.31,32).

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.