O DESPERDÍCIO DE CADA DIA

Impressiona-nos, pois não estou sozinho, o desperdício de cada dia neste país. A começar dos líderes governamentais e os agentes da corrupção, pois desperdiçam o dinheiro suado do povo brasileiro. Somos campeões em desperdício de energia, água, telefone, comida, grãos no campo, material reciclável, entulho de obra, sol, vento e tantas outras coisas. Somos um país rico em recursos naturais e em desperdício. Temos nos tornado pobres na visão de país. Amamos mais o consumismo do que o consumo responsável. Criamos uma ‘cultura do desperdício’ que passa de pai para filho. É muito difícil mudar este quadro caótico, esta situação deprimente. Pessoas cultas jogam no mesmo lugar restos de comida, lata de alumínio, plástico e etc. Não são capazes de separar o que pode ser reaproveitado do que não pode. São incapazes de perceberem que o material reciclável além de ajudar na preservação ambiental, gera emprego e renda, trazendo uma vida digna para muitas pessoas e famílias neste imenso Brasil.

A prática do desperdício está ligada à falta de educação, à falta de uma politica de sustentabilidade, a governos fracos, incompetentes, que tratam o meio ambiente de forma platônica. Sabemos que há mais ações na iniciativa privada do que do governo. Este não fiscaliza adequadamente e nem produz leis que inibam o desperdício. Em muitas escolas não há coleta seletiva e nem uma disciplina voltada para o meio ambiente, para educar as crianças a fazerem a separação do que pode ou não ser reciclável. No transtorno climático governos jogam culpa na iniciativa privada e vice-versa. Não temos dado o devido valor à natureza tão linda criada por Deus para o nosso bem-estar. Em muitas casas a filosofia é jogar tudo no lixo e que este não tem valor.

No tema energia, não utilizamos a luz solar; não aproveitamos o vento nas áreas de praia; jogamos o óleo usado de cozinha no ralo, poluindo rios e mares em vez armazená-lo para ser transformado em biodiesel que não polui a atmosfera. Um país riquíssimo em fontes energéticas e muito pobre no seu aproveitamento. Pouco criativo na utilização de energia renovável. Somos um dos países que mais poluem o planeta. Não respeitamos as matas ciliares. Construímos na beira dos rios e os governos nada fazem. Somos campeões em favelas sem nenhuma estrutura de saneamento básico. Poucos municípios têm tratamento de esgoto. Já destruímos grande parte da Mata Atlântica e uma porcentagem considerável da Amazônia. Incentivamos muito pouco o plantio de árvores nativas. Não temos uma politica clara de desenvolvimento sustentável.

Precisamos de normas claras, leis mais severas para barrarem a impetuosidade dos grileiros, fazendeiros irresponsáveis e urbanoides vorazes em desenvolvimento sem politica ambiental. Que utilizemos mais transporte de massa e bicicletas nas metrópoles e cidades médias e pequenas. Que façamos caminhadas denunciando toda a forma de agressão ao meio ambiente. Mobilizemos a sociedade para práticas de economia de energia, água e outros elementos essenciais. Que ensinemos em nossas comunidades a coleta seletiva e o uso adequado do material reciclável. Sejamos ousados no aproveitamento de tudo o que ajudará a melhorar a qualidade do ar que respiramos. O planeta está sofrendo porque os seus habitantes não sabem ou não querem preservá-lo. Deus nos colocou nesta terra como gestores responsáveis e eficientes. Sejamos competentes na utilização dos recursos que o Criador colocou à nossa disposição. Que o Salmo 24.1 seja uma motivação para tratarmos deste planeta azul, tão lindo: “Do Senhor é a Terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam”. Honremos a Deus, nosso Pai e Criador, com atitudes e atos responsáveis para que a terra seja tratada como merece e que deixemos um legado de sustentabilidade. Que não haja desperdício de cada dia, mas aproveitamento adequado e economia dos recursos que nos são dados amorosamente pelo Criador.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.