“AS DORES DO HOMEM DE DEUS NO EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO PASTORAL” (FINAL)

“Meus filhos queridos, sofro dores de parto por todos vocês novamente – e este processo continuará até que o Messias seja moldado em vocês” Gl 4.19 – (Bíblia Judaica Completa – David Stern)

Sofrendo com as dores do ministério, precisamos nos lembrar das palavras de Jesus a Paulo num momento de dor: “A minha graça te é suficiente, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Co 12.9,10). Eugene Peterson nos ajuda muito quando compartilha que “o lugar de exilio pode até possuir um padrão de vida mais elevado, ou o clima pode ser mais agradável. Nada disso importa. Não é o nosso lar. Esta mesma singularidade, porém, pode abrir uma nova realidade para nós. Um acidente, uma tragédia, um desastre de qualquer natureza pode forçar a percepção de que o mundo não é um lugar previsível, de que a realidade é muito mais ampla do que a compreensão habitual. Com a dor e a alienação pode surgir um sentido de liberdade” (“Corra com os Cavalos”, Textus, 2003).

Ravi Zacharias, no seu precioso livro “O Grande Tecelão”, reparte: “Deus, o Grande Tecelão, procura pessoas com o coração terno para nelas colocar a sua marca. Suas magoas e decepções fazem parte desse plano para modelar o seu coração e o modo como você se sente a respeito da realidade. As dores que você vivencia irão sempre moldá-lo. Não há outro jeito”. Em sua sabedoria, Deus permitiu a provação não apenas para moldar Jó, mas também para nos dar o exemplo de como uma pessoa íntegra se conduz através da dor e da provação. Ele já possuía um caráter íntegro, mas por meio dos seus sofrimentos vemos como uma pessoa íntegra se comporta em meio à tragédia. A obra de Deus é apresentada dessa maneira”.

Uma das cenas mais lindas da Bíblia é o encontro de Paulo, o velho apóstolo, em Mileto, com os pastores de Éfeso (At 20.17-24). O Poeta do século 18, William Cowper, que sofria de transtornos mentais e outras mazelas, compôs um hino, cuja letra é a seguinte:

“Deus se move de forma misteriosa

Para realizar Suas maravilhas;

Ele imprime suas pegadas no mar,

E cavalga sobre a tempestade.

Fundo, em minas imensuráveis

De habilidade que nunca falha,

Ele entesoura seus desígnios brilhantes

E opera sua vontade soberana.

Vós, santos medrosos, renovai a coragem!

As nuvens que tanto temeis,

São grandes em misericórdia, e irromperão

Em bênçãos sobre vossas cabeças.

Não julgue o Senhor com débil entendimento,

Mas confie nele para sua graça.

Por trás de uma providencia carrancuda,

Ele oculta uma face sorridente.

Seus propósitos amadurecerão rapidamente,

Desvendando-se a cada hora;

O botão pode ter um gosto amago,

Mas a flor será doce.

A incredulidade cega certamente errará

E esquadrinha sua obra em vão:

Deus é seu próprio interprete

E Ele o tornará claro”.

Um autor desconhecido reelaborou cada versículo do famoso e muito amado Salmo 23, que tem sido um balsamo para as nossas dores pastorais:

“O Senhor é o meu pastor – isso é relacionamento!

De nada terei falta – isso é provisão!

Em verdes pastagens me faz repousar – isso é descanso!

Me conduz a águas tranquilas – isso é revigoramento!

Restaura-me o vigor – isso é cura!

Guia-me nas veredas da justiça – isso é orientação!

Por amor do Seu nome – isso é propósito!

Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte – isso é provação!

Não temerei perigo algum – isso é proteção!

Pois tu estás comigo – isso é fidelidade!

A tua vara e o teu cajado me protegem – isso é disciplina!

Preparas um banquete para mim à vista dos meus inimigos – isso é esperança!

Tu me honras, ungindo a minha cabeça com óleo – isso é consagração!

E fazendo transbordar o meu cálice – isso é fartura!

Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida – isso é bênção!

E habitarei na casa do Senhor – isso é segurança!

Enquanto eu viver – isso é eternidade!

É muito bom sabermos que o Senhor está conosco quando sentimos as dores no exercício do nosso ministério. As Suas promessas são infalíveis. O Seu amor é perfeito. Ele é sempre fiel a Si mesmo. Descansemos na Sua graça que nos basta e no Seu poder que se aperfeiçoa em nossa fraqueza. Não desanimemos, pois Ele nos renova a cada dia. Confiemos plenamente nEle. Ele é o nosso Pastor e nada nos faltará (Sl 23.1).

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor por 29 anos e meio.

1 comentário em ““AS DORES DO HOMEM DE DEUS NO EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO PASTORAL” (FINAL)”

  1. COMO ME ORGULHO SE SER SUA OVELHA. APESAR DAS MINHAS FALHAS E NÃO PODER ATENDER O PASTOR EM TUDO, MESMO ASSIM CONTE COMIGO. AMO MUITO O PASTOR EM CRISTO. FIQUE NA PAZ DE CRISTO. AMPLEXOS DE SUA OVELHA ROSANE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.