TELHADO DE VIDRO

 

Esta é uma expressão de vulnerabilidade, fraqueza. Há um pensamento que diz: “Quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado do vizinho”. Somos pessoas tendentes a julgar os outros. Sendo muito fracos e limitados falamos e atacamos a fraqueza e limitação alheias. Jesus sempre criticou duramente ‘o telhado de vidro’ dos escribas e fariseus. Alertou-lhes acerca de sua religião legalista e voltada para julgar os outros. É impressionante o numero de membros de nossas igrejas e até pastores e diáconos que são implacáveis quando tratam do erro dos outros como se não errassem também. O homem natural (de Adão) se satisfaz com o fracasso dos outros, julgando-os implacavelmente. Só com a natureza de Cristo é que podemos amar verdadeiramente.

O Senhor Jesus nos ensina a amar as pessoas sem carimbarmos seus erros. Devemos ajuda-las a superarem as dificuldades da vida. Quando os religiosos judeus trouxeram aquela mulher pega em flagrante adultério, querendo que ela fosse julgada e condenada ao apedrejamento até à morte, Jesus os confrontou, dizendo: ‘Aquele que está sem pecado que seja o primeiro a atirar a pedra’. Diz o texto que a começar dos mais velhos foram saindo um a um. Todos tinham telhado de vidro. Todos eram vulneráveis. A religião julga e condena. O evangelho confronta, exorta, perdoa e encoraja sempre em Cristo Jesus.

A graça que nos alcançou é a mesma que aceita o perdido, o miserável, fracassado e rejeitado. Esta é a nossa história. A História da salvação é a história da revelação do Senhor Jesus Cristo que veio buscar e salvar o perdido (Lc.19.10). Ele morreu por nós e nos incluiu em Sua morte. Ele não veio para os sãos, mas para os doentes, feridos. Veio curar os doentes vitimados pelo pecado. Ele levou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores (Is 53). Ele é o Cristo que se importa conosco, que está conosco todos os dias até à consumação odos séculos (Mt 28.20).

Tenhamos a consciência do nosso telhado de vidro, das nossas fraquezas, nossa vulnerabilidade. O nosso Pai ama os perdidos, os preconceituados, os alijados pela sociedade e os cansados e oprimidos. Ele se importa com os que sofrem. Ele é sensível aos injustiçados. O nosso Senhor atraiu Zaqueu, Mateus, Pedro, Tiago, João, Saulo e os transformou em homens dependentes de Sua graça para servirem em amor. Perdoou a mulher rejeitada em casa de Simão enquanto este e seus amigos convidados a julgavam implacavelmente, e ao mesmo tempo, julgavam o Senhor Jesus. Eles tinham telhado de vidro.

Que o Pai nos livre de julgarmos as pessoas. Tenhamos consciência de que possuímos telhado de vidro. Somos fracos, vulneráveis, cheios de defeitos e limitações. Precisamos da graça de Jesus que basta e se aperfeiçoa em nossa fraqueza (2 Co 12.9,10). Que vejamos as pessoas com os olhos de Cristo, nosso Senhor. Que as amemos como o Senhor nos ensinou. Deixemos o julgamento para Aquele que tem autoridade para fazê-lo. Cuidado com o seu telhado de vidro. Sejamos cheios do temor do Senhor. Busquemos o seu discernimento, a sua sabedoria para vivermos relacionamentos saudáveis. Para revelarmos Cristo em nossas atitudes e atos e sempre para a glória de Deus, nosso Pai.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.