PRIORIDADE

 

Não existem prioridades, mas Prioridade. Esta é uma verdade porque foi o Senhor Jesus mesmo quem disse: “Buscai primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas” (Mt 6.33). Jesus quis nos ensinar que a nossa Prioridade é o Senhor. Se falarmos ‘prioridades’, O colocaremos na mesma nível das nossas opções. Então, prioridades não existem. O Senhor não admite a divisão da Sua glória. Não permite que Ele fique no mesmo patamar das nossas preferências. Ele quer ser amado de todo o nosso coração, toda a nossa alma, com todas as nossas forças e com todo o nosso entendimento (Mt 22.37,38). Ele é preexistente. É bom afirmar sempre: Ele é a nossa Prioridade.

A definição de prioridade nos leva a entendimento o lugar do Senhor em nós. Ele não é o primeiro, mas o único. Vejamos o conceito de prioridade: “Primado, principalidade, antecedência, antecipação, primazia, pródomo, anterioridade, precedência, preexistência, precessão, precursor” (Azevedo, Francisco F. S. Dicionário Analógico da Língua Portuguesa). O Senhor é muito claro em Isaias 43.10: “Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e o meu servo, a quem escolhi, para que o saibais, creiais em mim e entendais que eu sou o mesmo. Antes de mim nenhum Deus se formou, e nenhum haverá depois de mim”. O substantivo prioridade deve ser usado somente para o Senhor. Como a nossa prioridade, Ele é a base de todas as nossas escolhas, decisões e dedicação. Na verdade, Ele é vital. Quando Ele determina: “Sede santos porque eu sou Santo” (Lv 19.2), Ele está dando uma ordem chamada Prioridade. Quando o mesmo Senhor se revela a Moisés dizendo: “Eu sou o que sou” (Ex 3.14), Ele está declarando a Sua primazia na vida Moisés e do povo de Israel.

O apóstolo Paulo nos ensina que devemos oferecer ao Senhor um ‘culto racional, lógico, coerente’ (Rm 12.1). Isto vale dizer que deve haver sempre uma coerência entre o nosso crer, sentir, falar, ouvir e agir dentro da perspectiva da Prioridade ou da Sua preexistência. Se Deus não é a minha precedência tudo o mais será. Quando dizimamos, ofertamos e investimos na obra de missões com todas as suas implicações, a nossa motivação é a prioridade. Deus é a nossa prioridade única, absoluta, incomparável e insubstituível sempre em Cristo pela manifestação do Espírito Santo. Sendo o Precursor, Ele recebe dos vinte e quatro anciãos prostrados, diante do Seu trono a adoração: “Nosso Senhor e nosso Deus, tu és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque tu criaste todas as coisas e, por tua vontade, elas existiram e foram criadas” (Ap 4.11).

Quando cremos que Deus é Prioridade temos prazer na intimidade com Ele; sentimos alegria em ser Seus imitadores como filhos amados (Ef 5.1,2); temos profunda tristeza ao errarmos; nos arrependemos como nos ensina a Palavra; desejamos ardentemente ser santos como Ele o é; somos quebrantados por Sua Lei; temos prazer nesta lei e meditamos nela dia e noite (Sl 1.1-3); testemunhamos o evangelho de Cristo Jesus; vivemos de modo sincero, íntegro e profundamente cônscios das nossas limitações; vivemos uma vida de contentamento, repartindo com os que mais necessitam; gozo em investirmos no Reino de Deus, na sua expansão; amamos a Sua Igreja e aguardamos com confiança a volta do Seu Filho amado.

Sendo o Senhor a nossa Prioridade, devemos ter sempre zelo por Ele. O Dr. John I. Packer faz uma citação de J. C. Ryle sobre zelo.

“Zelo em religião é o desejo ardente de agradar a Deus, realizar a Sua vontade e propagar a Sua glória no mundo de todos os modos possíveis. É um desejo que nenhum homem sente naturalmente – o qual é colocado pelo Espírito no coração de cada crente quando se converte, mas que alguns sentem com muito maior intensidade que outros, por isso só eles merecem ser chamados de ‘zelosos’.

Um homem zeloso em religião é acima de tudo um homem de uma só coisa. Não é bastante dizer que ele é fervoroso, sincero, inflexível, enérgico, cordial, fervente em espirito, ele apenas vê uma coisa, preocupa-se com uma só coisa, vive por uma só coisa, é absorvido por ela, e esta coisa é agradar a Deus. Quer viva ou morra, quer tenha saúde ou doença, quer seja rico ou pobre, agrade aos homens ou os ofenda, seja sábio ou ignorante, seja culpado ou elogiado, seja honrado ou envergonhado, nada disso interessa a este homem zeloso. Ele se inflama por um só coisa e essa é agradar a Deus, e fazer crescer a Sua glória. E se for consumido nessa chama, não importa, está contente. Sente que, como lâmpada, foi feita para queimar; e se for consumido ao se queimar, nada faz além da obra que lhe foi destinada por Deus” (Practical Religion, 1959, pg. 130).

É assim o homem que tem o Senhor como Prioridade. Não há outras prioridades, mas o Senhor como a prioridade, primazia. Ao falar através de Moisés ao Seu povo, o Senhor revela a Sua principalidade: “E te alimentou no deserto com o maná, que teus pais não conheciam, a fim de te humilhar e te provar, para mais tarde te fazer bem. Portanto, não digas no teu coração: A minha força e a fortaleza da minha mão adquiriram para mim estas riquezas. Pelo contrário, tu te lembrarás do Senhor, teu Deus, porque Ele é quem te dá força para adquirires riquezas, a fim confirmar sua aliança, que jurou a teus pais, como acontece hoje” (Dt 8.16-18). Que vejamos o Senhor como o nosso Primado. Como o único que serve de modelo, referencia para todos os que creem. Que o Senhor seja sempre a nossa primazia para a Glória dEle mesmo.

Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa, RJ.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.