ORDEM SOCIAL

 

Continuo comentando a nossa Declaração de Fé. O nosso assunto agora é ordem social. O Brasil faz parte do G20 – as vinte maiores economias do mundo. Ele está em 19º lugar em distribuição de renda. Fazemos parte de um país injusto. Como cristãos batistas não podemos, em hipótese nenhuma, nos conformar com este quadro caótico, desalentador. Melhoramos um pouco, mas precisamos melhorar e muito mais. A visão social que resulta na distribuição de renda, na ajuda emergencial, no emprego, na saúde, na educação, no acesso a informações, na segurança, no saneamento básico e nas outras necessidades precisa ser atendida como prioridade pelos governos e nós podemos reivindicar a partir do conteúdo bíblico tão claro. Jesus sempre viu o homem como ser integral. Este mesmo homem precisa ser integrado no conjunto de benefícios da nação. Os valores do Reino de Deus devem sempre ser vividos e proclamados. Não podemos mudar este país sem uma consciência bíblica profunda e abrangente. Os profetas de Deus sempre condenaram a injustiça social e a imoralidade do povo de Israel. Vivemos num mundo injusto e imoral.

A ordem social começa com um coração regenerado, nascido de novo. Uma pessoa transformada deseja intensamente transformar o seu ambiente ou contexto imediato. A metamorfose ocorre a partir de uma vida consagrada ao Senhor (Rm 12.1,2). Esta vida é conformada com a vontade de Deus, mas inconformada com a injustiça do homem, da sociedade. João Batista, o precursor de Jesus, pregou contra a corrupção, o egoísmo e toda a sorte de injustiça. Jesus disse para os discípulos e diz para nós hoje: Dai-lhe vós de comer. Todo o Seu riquíssimo ministério possuía três pilares: pregação, ensino e cura. Estes três substantivos estão ligados à formação integral do homem. Os discípulos aprenderem com Ele a pregar, ensinar e curar, mas sempre no Seu poder.

A nossa Declaração de Fé diz: “Como sal da terra e a luz do mundo, o cristão tem o dever de participar em todo esforço que tende ao bem comum da sociedade em que vive (Mt 5.13-16; Fp 2.15)”. O bem maior é anunciar o evangelho de Cristo para que haja mudança radical. Quando o homem busca o Reino de Deus em primeiro lugar, as outras coisas serão acrescentadas (Mt 6.33). Como cristãos batistas, somos chamados pelo Senhor para cuidarmos em amor dos órfãos, das viúvas, dos anciãos, enfermos e outros necessitados, bem como todos aqueles que forem vitimas de preconceito, injustiças e opressões (Mq 6.8; Zc 7.10). Deus se agrada ao ver o Seu povo comprometido com o bem dos que sofrem toda a forma de injustiça. “Devemos atendê-los sempre com o espírito de amor, jamais apelando para quaisquer meios de violência ou discordantes das normas estabelecidas pela Palavra de Deus (Is 1.16-20; At 4.32-35)”. A Igreja nascente ou chamada primitiva tinha um forte compromisso com os desvalidos. Jesus, no juízo final, há de cobrar de todos os que O professam atitudes e atos coerentes (Mt 25.31-46).

A Igreja agrada a Deus quando é um hospital para pecadores. Quando recolhe os marginalizados pela sociedade apática e egoísta. As nossas Cristolândias têm sido um exemplo de comunidade terapêutica. O amor de Cristo cura. A graça de Deus em Cristo imprime em nós o desejo intenso de servir o próximo com alegria e singeleza de coração. A Igreja é a comunidade da aceitação, do perdão e da cura. Ela trabalha com a restauração e com o encorajamento. Jesus está derramado na Sua igreja pelo precioso Espírito Santo. Somos chamados a amar as pessoas com o amor de Cristo. A integração social passa pela aceitação do outro. São socialmente integrados os que são aceitos no coração. A fé que recebemos do Senhor é fecunda e produz obras graciosas ou da graça. A socialização do indivíduo começa com a sua aceitação pelo grupo que o recebe com amor. Cristo nos ensina a recebermos e tratarmos com graça todos os alijados pela sociedade. Ele tem uma ordem social. Esta ordem passa pela cruz e pela ressurreição. Somos identificados com Ele na Sua morte e na Sua ressurreição para nos identificarmos com as necessidades do outro e as atendermos no espírito de Cristo. Graças a Deus temos uma ordem social a partir do Seu Reino. Vivamos esta ordem social cristã para que o mundo seja transformado.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.