SER COMO CRISTO PRATICANDO A BÍBLIA (I)

 

Este é o tema da nossa amada Convenção Batista Brasileira para 2012. O texto usado como divisa é: “…Até que Cristo seja formado em vós” (Gl 4.19b). Paulo compartilhou que sentia dores de parto no processo de formação do caráter de Cristo na vida dos cristãos da Galácia. A única maneira de sermos semelhantes a Cristo é pela pratica da Palavra de Deus – fonte fidedigna da vida do nosso Salvador. Tiago nos ensina que devemos ser praticantes da Palavra e não somente ouvintes (1.22). Jesus mesmo, após a exposição do Sermão do Monte, disse: “Aquele que ouve e pratica a Palavra de Deus é semelhante ao homem que construiu a sua casa sobre a rocha” (Mt 7.24). A rocha é Cristo. Por isso, estamos firmes e seguros.

A formação do caráter de Cristo na vida dos crentes passa pelo sofrimento. As dores de parto são, dizem as mulheres que tiveram filhos, uma das piores dores. Ser como Cristo sempre será a partir da manifestação da maravilhosa graça de Deus, passando pela fé e entrando na obediência para segui-lO e servi-lO. Por esta razão o velho apóstolo declarou: “Mas, pela graça de Deus, sou o que sou. E a sua graça para comigo não foi ineficaz. De fato, trabalhei muito mais que todos eles, todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo” (1 Co 15.10). A prática da Palavra de Deus exige obediência, determinação e perseverança. Temos uma fortíssima tendência à teoria, focados no mundo das ideias. Encontramos muitas dificuldades em nos concentrar na Revelação do Pai. Entre ser o que somos e o que o Pai quer que sejamos, em Cristo Jesus, há uma distancia muito grande. Um caminho muito longo a percorrermos. Isto demanda renúncia, sacrifício de fé.

A Palavra de Deus é o guia seguro e eficiente para encontrarmos o viver de Cristo. O evangelista Dwight Moody, referindo-se à Bíblia, já dizia: “Ou este livro nos afastará do pecado ou o pecado nos afastará deste livro”. Ficamos com a primeira afirmação se desejamos ser semelhantes a Jesus. O apreciadíssimo expositor bíblico, já falecido, John Stott declarou que a maior aspiração do cristão deve ser a semelhança com Cristo. É por esta razão que Paulo ensinou aos irmãos em Colossos: “A Palavra de Cristo habite ricamente em vós, em toda a sabedoria; ensinai e aconselhai uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a Deus com gratidão no coração” (Cl 3.16). O mesmo apóstolo revela solenemente: “Trazendo sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a Sua vida se manifeste em nosso corpo” (2 Co 4.10). E: “Já estou crucificado com Cristo e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora vivo na carne, vivo-o pela fé em Cristo Jesus, o qual me amou e a Si mesmo se entregou por mim” (Gl 2.20). O preço da nossa semelhança com Cristo é a identificação com Ele na Sua vida e na Sua morte.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.