JABEZ, UM LIDER DE ORAÇÃO

Jabez tem uma das menores biografias da Bíblia. Ele aparece de uma forma muito peculiar em 1 Crônicas 4.9,10: “Jabez foi o homem mais respeitado da sua família. Sua mãe lhe deu o nome de Jabez, dizendo: ‘Com muitas dores o dei à luz’. Jabez orou ao Deus de Israel: ‘Ah, abençoa-me e aumenta as minhas terras! Que a tua mão esteja comigo, guardando-me de males e livrando-me de dores’. E Deus atendeu ao seu pedido” (NVI). O seu nome significa no hebraico “que causou dor”. Era ele um homem de Judá, o mais ilustre entre os seus irmãos. A sua mãe o concebeu com muitas dores. Como líder, ele era um homem de oração. Assim deve ser o líder cristão autêntico. Ele orava ao Senhor pedindo que fossem alargadas as suas fronteiras, que fosse protegido, do poder do mal. Na tradução NVI (Nova Versão Internacional), diz que “Jabez foi o homem mais respeitado de sua família”. O líder precisa ser uma pessoa de respeito. Isto vem pela sua autoridade espiritual dada por Deus.

O fato de ter sido gerado com muitas dores (o que acontece quando uma mulher tem o seu filho de parto normal), este fato ilustra que o líder sente dores e é formado no meio da dor – da incompreensão, indiferença, resistência e solidão. Neste processo, ele aprender, na dependência do Senhor, a lidar com pessoas. Paulo repartiu com os irmãos em Corinto as dores de parto que sentia até que Cristo fosse formado neles. Parece que Paulo está se referindo a uma dor da alma, das entranhas – as dores de um amor não correspondido ou mal compreendido. A dor ou o sofrimento no exercício da liderança faz parte do processo na relação líder-liderado. Não é possível exercer a liderança cristã sem dor. A mulher tem dor de parto e isto é normal assim como é normal a dor na liderança. Devemos pagar o alto preço da liderança que nos foi dada pelo Deus da graça. O segredo para enfrentarmos as lutas e as vencermos é olharmos para Jesus, nosso modelo de líder por excelência, Aquele que deu-se a si mesmo por nós, sendo o nosso Amigo incomparável (João 15.13,14).

Jabez orou pedindo que o Senhor alargasse suas fronteiras e que fosse com ele a Sua mão. O líder é aquele que amplia o seu raio de ação. Não se acomoda, não entra na zona de conforto. Fomenta a sua influencia positiva. A sua visão é longa e ampla. Ele tem visão de futuro. Trabalha na vanguarda e não quer viver na mesmice. Sabemos que exercer a liderança demanda muita oração. Um líder cristão autêntico anda de joelhos vivendo na dependência total de Deus, o Pai. Na verdade, líder de joelhos, liderados em pé para servirem ao Senhor com humildade e com alegria.

Que sejamos imitadores de Jabez que orou ao Senhor com determinação, prazer e consciência de sua posição estratégica. Somos chamados à comunhão intima com o Senhor. O líder precisa ter profundidade na relação com Aquele que o chamou por Sua maravilhosa graça. Que aprendamos a alargar as nossas fronteiras. A avançar com determinação para cumprir os propósitos de Deus em Cristo. Josué entendeu isto quando foi comissionado pelo Senhor para dar prosseguimento ao ministério que Moisés iniciou.

Diz o texto (1 Crônicas 4.10): “E Deus atendeu ao seu pedido”. A oração da fé, segundo a vontade de Deus, é atendida plenamente. Jabez orou com fé. A Palavra diz que “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11.6). O justo viverá por fé (Rm 1.17). O líder deve viver pela fé na suficiência da obra de Cristo. O líder de oração é um líder cristocêntrico, isto é, Cristo é o centro, a razão da sua vida e da sua liderança. Como líderes, sejamos homens e mulheres de oração porque assim Deus se agrada como se agradou de Jabez e atendeu o seu pedido.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.