CULTO LÓGICO

Culto é a expressão sincera do coração que reconhece a majestade, santidade e o poder de Deus, o Senhor Soberano. Ele é a expressão de um coração agradecido pelo dom inefável de Deus em Cristo Jesus. O verdadeiro culto é quando todas as minhas faculdades estão submetidas ao exame de Deus. Quando há coerência na minha vida em servir a Deus. Paulo chama de ‘culto racional’ ou ‘lógico’ (Rm 12.1,2). O Pai conhece quando Seus filhos O adoram em espírito e em verdade (João 4.24). Ele sabe perfeitamente o que está em nosso coração. O culto a Deus não está ligado ao espaço do templo, mas no dia a dia, em nosso ambiente, em nossas relações. É bem verdade que cultuar ao Senhor num templo com os irmãos caracteriza seriedade e espírito de comunhão ensinados pelas Escrituras. Há quatro pontos essenciais que caracterizam o culto lógico.

O primeiro é a adoração sincera, sem hipocrisia, fingimento. Enquanto Jesus ensinava a adorar ao Pai em espírito e em verdade, os escribas e fariseus ensinavam a aparência, o aspecto meramente religioso, caracterizado pelo antropocentrismo. Sabemos que o ser e o fazer devem estar em harmonia plena. Deus é Espírito e requer de nós uma adoração sincera, real, fiel, sem máscaras, sem ferrolhos. A verdadeira adoração mexe com todas as áreas de nossa vida. Adoração é submissão, coerência, contentamento, quebrantamento, cura, manifestação da graça do Pai, arrependimento, comunhão, seriedade e manifestação da justiça de Deus em Cristo. Adorar é orar no espírito, com peso, com sinceridade de coração. É estar humilhado diante do Deus assentado sobre um alto e sublime trono à semelhança do profeta Isaias quando do seu chamado (6.1-8).

O segundo é o aprendizado da Palavra de Deus. O povo se reúne no santuário para aprender a Palavra de Deus que é viva e eficaz (Hb 4.12). Jesus nos convidou a aprender dEle, que é manso e humilde de coração (Mt 11.29). Aprendemos para crescermos na graça e no conhecimento de Cristo Jesus, o Senhor (2 Pe 3.18). Aprender está ligado à formação de caráter. Aprender é crescer. O aprendizado no espectro do culto lógico está ligado a agir como servo. Tem a implicação do crescimento espiritual. A Palavra de Deus é a base para um culto lógico.

O terceiro é a comunhão entre os membros do corpo de Cristo. O prazer do cristão é ter comunhão com o seu irmão. A comunhão é a expressão horizontal da obra da cruz. Cristo morreu para que fossemos um. Não estamos meramente juntos, mas vivemos na unidade do Espírito Santo. Há uma interdependência. Somos um purê de batatas. Somos uma só massa. Um só o coração, uma só fé, uma só mente. Era assim que viviam os nossos irmãos primitivos. Diz do texto que “da multidão dos que creram era um o coração e a alma” (At 4.32). A igreja não era um museu para santos, mas um hospital para pecadores. Somos um time ou uma equipe unida. A comunhão se caracteriza pela participação de todos no esforço de cada um. Jesus é a Videira e nós somos os ramos ligados nEle. Esta é a condição essencial para darmos fruto. Culto é fruto a partir da comunhão fraterna.

O quarto é o testemunho. Não é possível nos reunirmos, cultuarmos ao Senhor sem expressão da vida no altar. As pessoas precisam ver Cristo em nós. O povo primitivo dava um excelente testemunho da graça de Deus. As pessoas vinham ao santuário pelo belo testemunho da obra de Cristo na vida da Igreja. O salmista dá um belo testemunho no Salmo 40, versos 1-3 – tirou-me de um charco de lodo, firmou os meus passos e pôs um novo cântico na minha boca. Muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor. No culto lógico, o testemunho é o cartão de visitas muito eficiente, marcado pelo compromisso com Cristo. O culto lógico tem implicações éticas muito fortes. Temos um compromisso de santidade com o Senhor. Pacto com o Senhor para sermos diferentes do mundo para fazermos toda a diferença no mundo para a Glória de Deus, o nosso Pai.

Estes quatro pontos revelam a seriedade do culto lógico. Então, adoração + aprendizado + comunhão + testemunho = culto lógico. Todos estes pontos são convergentes na caminhada da igreja com o Senhor. Deus, nosso Pai, requer de nós coerência, lógica em tudo o que fazemos para Ele. Jesus morreu de coerência. Sejamos coerentes, lógicos em nossa relação com o Senhor e com o nosso próximo. Que o nosso culto tenha intimidade com Aquele que nos fez à Sua imagem e semelhança. Somos dEle por direito de criação e por direito de redenção em Cristo Jesus. Que em nossa adoração ao Senhor exalemos o bom perfume de Cristo diante dos que são salvos e dos que se perdem.

OSWALDO LUIZ GOMES JACOB, pastor

1 comentário em “CULTO LÓGICO”

  1. Realmente necessitamos dessa ênfase bíblica na adoração ao Senhor. Não podemos perder a noção de que o culto é por Deus e para Deus. Ele é o centro da nossa adoração. Somos dele e devemos viver para ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.