Celebrando a ceia do Senhor Jesus

Uma das ocasiões mais fantásticas do Reino de Deus, na Igreja, é a celebração da morte e da ressurreição do Senhor Jesus. É um ambiente caracterizado pela comunhão dos santos, identificação com a morte e a ressurreição do Senhor, proclamação do evangelho da graça (1 Co 11.26), e a expectativa da Sua volta (1 Co 11.26b). É um tempo de auto-exame à luz da própria Palavra (1 Co 11.28). Tempo de quebrantamento nos levando à consciência de que somos homens e mulheres imperfeitos, mas alcançados pela graça de Deus. A Ceia é sangue – simbolizado pelo suco da vide e o corpo – simbolizado pelo pão. Sangue e corpo falam bem alto do sacrificio de Jesus na cruz. Falam de vida e esta em abundancia (João 10.10).

Ceia é festa e comunhão; adoração e contrição; expressão e testemunho; entrega e serviço; contentamento e gratidão; perdão e aceitação; paciencia e esperança. Sendo uma ordenança deixada pelo Senhor, ela revela a presença de Cristo no meio do Seu povo. Na ceia, o nosso pensamento em relação à morte de Cristo é mais forte. Não é um ambiente funebre, mas de ressurreição, pois o Salvador venceu a morte. Podemos celebrar "a morte da morte na morte de Cristo" (Owen).

Na Ceia, celebramos a nossa morte e a nossa ressurreição com Ele (Cl 3.1,2). Celebração de vidas que foram escondidas com Cristo em Deus (Cl 3.3,4). Ela é escatológica, pois o povo cristão primitivo, quando da celebração da Ceia, dizia com convicção: "Maranata, Senhor Jesus!", cujo significado é: "Ora vem, Senhor Jesus!". Esta deve ser também a nossa expectativa segura. A Ceia deve aquecer os corações frios; aproximar e aglutinar os que estão distantes e os que estão dispersos, trazendo-os para a comunhão. Na celebração da morte e da ressurreição do Senhor há cura, milagres acontecem. Perdão, aceitação e alegria prevalecem no ambiente de celebração.

Ceia é lembrar de um passado que nos toca fundo e, por isso, inesquecível; um presente atuante e um futuro cheio de esperança, pois o Senhor prometeu voltar para nos buscar. Ela nos chama à responsabilidade para um comprometimento com a pregação do evangelho integral até que Cristo volte. Ceia é graça derramada, justiça satisfeita e salvação plena em Jesus Cristo.

Na Mesa do Senhor, a comida é servida e todos se alimentam com alegria. Há sintonia e sinergia em Cristo. Há diálogo, um repartir de coração e unidade no relacionamento. É neste ambiente que o Senhor Jesus tem prazer em estar presente. Ele ceou com os Seus discipulos e quer que ceiemos uns com os outros no ambiente da fraternidade cristã. Cristo em nós, a esperança da glória (Cl 1.27). Quando Cristo está em nós, na Ceia, a Igreja é edificada, os perdidos são trabalhados pelo Espírito Santo para a conversão e a Glória de Deus, o Pai, manifestada.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, Pr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.