// você está lendo...

Destaque

VIVER É UMA ARTE

Como a arte, a vida tem as suas cores, curvas, retas, contornos, paisagens, relevos, ondulações. A vida revela a multiforme sabedoria de Deus. Viver é andar pelos vales e montanhas; rios e desertos; experimentar frio, calor e temperatura amena. A vida tem facilidades e dificuldades. A jornada pode ser confortável como poder ser desconfortável. Ela é composta de sofrimento e gozo. Viver depende mais das reações. Estas definem a nossa maturidade.

Durante a vida construímos quadros multicoloridos ou opacos. Esculturas belíssimas e também sem beleza nenhuma. A arte é o resultado do talento e do sacrifício de seu artista. Ela deve ser interpretada à luz da sua vida e das suas observações. Viver bem é viver a arte que encanta e que motiva a caminhada firme e perseverante. Também, saber caminhar sobre os espinhos sem murmurar, confiando em Cristo que sabe o que é sofrer, o nosso médico ferido (Isaias 53). Ele mesmo nos alertou acerca das aflições ou tribulações da caminhada cristã (João 16.33).

Na vida, cada quadro, escultura ou peça deve ser produzido com mais excelência. É a experiência do artista que o leva a dar o melhor de si. A primeira obra é fruto da inexperiência. A última é produzida com maturidade de quem já sofreu. Paulo, ao escrever aos irmãos em Corinto, ensina: “Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança; mas, assim que cheguei à idade adulta, acabei com as coisas de criança. Porque agora vemos como por um espelho, de modo obscuro, mas depois veremos face a face. Agora conheço em parte, mas depois conhecerei plenamente, assim como também sou plenamente conhecido” (1 Co 13.11,12).. A vida é uma arte construída com intensidade de alma, produzida muitas vezes no sofrimento. Viver de forma autêntica é fazer uma leitura madura da vida com todas as suas implicações espirituais, emocionais, éticas e físicas.

Somos o resultado das nossas escolhas. Tudo o que o homem planta ele colhe (Gl 6.7). Sabemos que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Não há destino. Há fruto de escolhas. Há soberania e propósito dAquele que nos criou à Sua imagem e semelhança (Gn 1.28). Então, viver é saber andar pelas montanhas, pelos vales, navegar em mares revoltos, rios caudalosos e caminhar pelas curvas fechadas da vida. Discernir os perigos à luz da Palavra do Pai. É preciso viver com sabedoria e amor neste mundo insano e egoísta. Jesus é o único que pode transformar a nossa vida num lindo quadro, peça ou escultura que pode ser admirado ou admirada como algo que reflete a Sua Glória.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook
  1. Esse texto foi muito edificante, gostei muito. Deus o abençõe!

    Postado por Luana | 23 de novembro de 2011, 16:07

Comente