// você está lendo...

Sem categoria

SER PASTOR

Que privilégio e que honra ser um pastor! Mas também que responsabilidade para esta vocação tão sublime! Fomos chamados para o pastorado como homens comuns. Homens sujeitos às mesmas paixões que Elias, profeta de Deus. Precisamos ter a fé de Abraão; a persistência de Jacó; a pureza de José; a coragem de Davi, a sabedoria de Salomão e o amor, a mansidão e a humildade de Jesus. O pastor deve ser vazio de si mesmo e cheio do Espírito Santo. O seu modelo é Jesus Cristo. Ele tem o espírito evangelístico de Filipe; o espírito missionário de Paulo e a mansidão amorosa de João. Ser pastor é ter a responsabilidade e o prazer da comunhão íntima com o Pai pela oração e leitura da Palavra. É aquele que cuida muito bem da sua casa, da sua família. Educa os seus filhos nos fundamentos da fé cristã e ensina-os a serem obedientes. Homem da Palavra e de palavra. Que ama a Igreja de Cristo.

O pastor é um homem íntegro a toda a prova não compactuando com qualquer corrupção. Que diz sim, sim; não, não. Que paga suas contas em dia, a ninguém devendo coisa alguma a não ser o amor fraterno. Homem forte no Senhor que não tem medo das decisões com base na Palavra. Que anda de joelhos diante do Pai, disposto a pagar o preço da integridade. O pastor está comprometido com o evangelho integral e com a pregação bíblica expositiva. Tem um amor muito grande pelo ensino bíblico e está comprometido com a Escola Bíblica Dominical. O seu foco é dar prazer ao Pai à semelhança de Jesus.

Ele está comprometido com a justiça social, com o desenvolvimento sustentável, com a educação de qualidade, com a distribuição de renda e com a transparência do poder publico. Ora e trabalha para um Brasil melhor e para um mundo melhor. Vive e difunde o voluntariado em vários setores da sociedade, desafiando os cidadãos a trabalharem fortemente pelo desenvolvimento da pátria.

Tem satisfação na pesquisa bíblica. Produz material denso para os membros da Igreja. É um facilitador. Tem o dom da misericórdia, do ensino e da pregação. Está comprometido com a administração da Igreja eficiente. Conhece as ovelhas de Jesus que ele pastoreia com amor. Tem prazer em visitá-las, cuidando delas com dedicação. Um homem que morreu com Cristo, ressuscitou com Ele e que O vive no dia a dia da jornada ministerial.

O pastor possui sensibilidade para com os que sofrem. Empático aos párias da sociedade. Condena toda a forma de preconceito. Trabalha com amor para diminuir as desigualdades. Ataca a pobreza com ações de dignidade. Ele é facilitador, companheiro, amigo, encorajador e consolador. Possui visão longa das necessidades. Administra o tempo na perspectiva do Senhor, procurando otimizá-lo em função do próximo. Tem muito prazer em seu trabalho ministerial.

Ele é amigo de verdade. Aconselha e guarda o segredo das ovelhas a sete chaves. Homem de confiança, procurando preservar a identidade dos consulentes. Que está pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar (Tg 1.19). Homem que sabe a hora de se retirar e que não está interessado em holofotes, em aparecer ou ter destaque. Discreto e pronto para servir. Na verdade, o seu prazer é servir como o Mestre. Homem de unidade e jamais de divisão. Que busca a amizade entre as pessoas, um facilitador relacional e um motivador do povo de Deus e que vive para a Glória de Deus.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook
  1. Graça e Paz!
    Ao mesmo tempo que gostei de seu artigo também fico preocupado por mim pois me sinto longe em algumas das caracteristicas de um pastor em sua exência. Porém, percebo em minha vida um amor insubistituível por Cristo e por este amor tenho procurado respaldar meu ministerio no evangelho ouro e simples.
    Obrigado por me fazer refletir sobre a responsabilidade de ser chamado pastor.
    Um abraço.

    Postado por Pr. Marcelo Adson | 29 de abril de 2013, 09:13

Comente