// você está lendo...

Sem categoria

NÃO HÁ ALMOÇO GRÁTIS!

Tudo na vida tem o seu preço, a sua disciplina e o seu valor intrínseco! Se desejamos conquistar espaços, promoções e patamares maiores na vida laboral, precisamos ter foco, disciplina, integridade, austeridade, muito trabalho, economia e extrema dedicação! Não é ético ou moral conseguir as coisas por meios ilícitos. Para quem é sério, que tem no coração o temor de Deus, não existe jeitinho e nem falcatruas ou corrupção (Provérbios 1.7). 
No Brasil, a maioria das pessoas está acostumada com o "tá bom assim". Aprendi que "o bom é inimigo do ótimo". Se somos um país a reboque é porque a nossa filosofia de vida é tacanha, mesquinha, medíocre e sofrível. Os nossos líderes, via de regra, não se preparam para governar o país. Temos legisladores desde as câmaras municipais passando pelas assembleias estaduais, chegando à câmara federal e ao senado, com raríssimas exceções, medíocres, com uma visão apequenada, interesseira, desfocada e mercenária. Pagamos muitos impostos e temos um serviço público horrível, medíocre e que faz o povo sofrer e morrer nas filas e corredores dos serviços de saúde. Vivemos num país injusto.
Somos um povo que não lê, não sabe interpretar (analfabeto funcional) e não tem prazer na cultura, no aprendizado continuo, na busca pela excelência. Vivemos a cultura da mediocridade. Temos muitos paupérrimos e miseráveis em função de "bolsa esmola" que trabalha contra a dignidade humana. Muitos se acomodam. Sabemos que há aqueles que precisam e devem ser atendidos com critérios justos. 
Os nossos universitários, de um modo geral, não sabem escrever, não têm visão crítica e nem propostas para o país. Só sabem protestar, reclamar, usar os ambientes de aprendizagem para plataformas de vandalismo, pichando os espaços da instituição, desrespeitando os seus reitores e professores, promovendo festas regadas a bebidas e drogas. Para completar essa triste história, há professores que ensinam mais ideologias do que matérias para a formação qualificada dos alunos. Estamos entregando para o mercado de trabalho profissionais despreparados ou desqualificados.

Nas escolas de primeiro e segundo graus, há desrespeito com os educadores e diretores. As drogas, o vandalismo e as agressões verbais e físicas entre os próprios alunos, são recorrentes.

Vivemos o caos na saúde, educação e segurança pública. Sabemos que essas anomalias não são de agora. Governos incompetentes deixaram esse caos. 
Quanto à população, precisamos não simplesmente dar o peixe, mas ensinar a pescar. O trabalhador é digno do seu salário (1 Timóteo 5.18). Cada um de nós precisa trabalhar com dedicação, criatividade e zelo. O pão de cada dia deve ser comprado com o suor do nosso rosto. 
Se queremos ver nossas famílias, comunidades e nosso país transformados, é urgente que trabalhemos com integridade, criatividade, solidariedade, zelo e consciência de missão. 
Em vez de criarmos animosidades, vamos exercitar o amor fraterno que promove a justiça plena e ampla. 
Digamos "não" ao extremismo, à ditadura (seja qual for). ao relaxamento, à mesquinhez, ao egoísmo, à preguiça, vaidade, mesmice e toda sorte de retrocesso. 
Exerçamos a solidariedade a partir de nossas famílias. Sejamos generosos (Provérbios 11.25; 2 Coríntios 8.1-6; 9.6)! Pensemos no próximo. Trabalhemos na convergência e não divergência crônica ou doentia, sem diálogo. Paremos com as discussões bestiais, sem propósito e que não ajudam em nada o Brasil. 
Precisamos de um choque de compaixão, gestão, integridade, zelo, excelência em fazer as coisas, austeridade e transparência! 
Paguemos o preço, mesmo que seja muito caro, para mudarmos o Brasil. Que ele deixe de ser um país a reboque para ser um país de vanguarda para a Glória de Deus!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente