// você está lendo...

Sem categoria

MALALA YOUSAFZAI

Este é o nome da jovem paquistanesa símbolo da resistência feminina ao grupo Talibã, de extremistas islâmicos que impedem as mulheres de estudarem. Malala, com o apoio do seu pai, resistiu, foi baleada na cabeça em outubro do ano passado, e sobreviveu para ser uma porta voz do direito da criança e da mulher à educação. Ela recebeu recentemente o Premio Nobel da Paz juntamente com um líder indiano que luta há anos pela libertação das crianças que fazem trabalho infantil na Índia.

Malala nos impressiona pela sua visão, paixão, determinação e coragem. Ela afirmou numa reunião da ONU, e a sua assertiva se tornou famosa no mundo, que “um aluno, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”. Na perspectiva da educação secular, do intelecto, de melhorar a qualidade de vida das pessoas ela tem toda a razão. Olhando pelo prisma cristão, fiquei refletindo sobre o discipulado e o estudo bíblico na EBD. Que um aluno interessado em aprender as coisas de Deus, um professor dedicado em ensinar, uma Bíblia e uma caneta para anotar as lições para a vida podem mudar o mundo. Malala defende a educação secular como prioritária, nós defendemos a educação cristã – a formação do caráter de Cristo na vida das pessoas – como a mais importante. Ela defende a educação para esta vida, nós defendemos a educação para a vida eterna. Ela pensa na perspectiva deste mundo, mas nós arrazoamos sob a ótica do Reino de Deus, como Jesus nos ensinou e que tem implicações na eternidade.

Sabemos que não adianta muito a educação sem a mudança do coração. A educação secular e a educação cristã podem e devem andar juntas. Contudo, toda a Palavra de Deus revela a natureza perversa do coração do homem (Jr 17.9,10; Mt 15.19,20). A educação secular não muda, não transforma o coração, mas Jesus muda. A educação enfatiza o exterior, mas a educação da Palavra, o interior. O ensino secular está mais preocupado com os resultados culturais, tecnológicos e com a produtividade intelectual do que com outras questões cruciais da vida. A educação cristã trabalha as intenções do coração. Com a educação secular podemos tirar as pessoas da ignorância, do analfabetismo em relação a vários aspectos do dia a dia e inseri-las no contexto das informações úteis. A educação cristã, porém, enfatiza o ensino sobre Deus e o nosso compromisso com Ele. Aprendemos a adorar Àquele que nos criou à Sua imagem e semelhança e nos salvou em Cristo Jesus.

Podemos dizer então que um professor, um aluno, um livro e uma caneta, segundo Malala, podem mudar o mundo na perspectiva humana. Mas com um professor cristão, um aluno interessado em aprender as coisas de Deus, uma Bíblia e uma caneta podemos fazer a revolução no coração, na família e na sociedade. Que aproveitemos todas as oportunidades para ensinarmos a Bíblia e proclamarmos o Evangelho de Jesus às pessoas com o objetivo de serem transformadas. Essas pessoas ficarão mais motivadas a estudarem secularmente, a serem melhores profissionais e cidadãs, sendo agentes poderosos de transformação neste mundo até que Cristo volte!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente