// você está lendo...

Sem categoria

BEM-VINDOS A 2010

Pr. Julio de Oliveira Sanches

Adentramos a segunda década do século XXI. A primeira nos premiou com experiências agradáveis e desafiadoras. Alguns alarmes para colocar atenta a nossa fragilidade. A gripe suína trouxe–nos pavor. Pessoas morreram vitimadas pela "peste". O turismo sofreu com a possibilidade de contágios. As escolas retardaram o início das aulas. A profilaxia integrou o currículo esquecido de muitas pessoas. Máscaras. Gel com álcool para lavar as mãos. Muitos aprenderam a espirrar. Não sabiam. Aglomerações foram proibidas e evitadas. Igrejas suspenderam seus cultos para proteger os fiéis. O medo da morte é mais terrível que a morte em si. Chegamos a 2010 sem gripe suína, mas com possibilidade do seu retorno.

Economistas mundiais anunciaram grande derrocada econômica. Muitos perderam seus empregos. Bancos faliram. Altos executivos foram parar na cadeia. No exterior, é claro. No Brasil executivos não ficam presos. Sempre há um bom ministro para assinar o alvará de soltura. O presidente da República disse que o tsunami econômico mundial não chegaria ao país. Caso chegasse, seria marolinha. Para alguns foi tsunami. Para outros nem marolinha houve. Sobrevivemos e chegamos a 2010.

A conferência mundial sobre o clima fracassou. Mas as olimpíadas estão garantidas. Na área política os escândalos foram tantos que não há como nominá-los. Dinheiro nas meias. Nas cuecas. Nos bolsos, nas contas no exterior. Tudo filmado. Comprovado. Mas não apurado e jamais condenado. A vida segue e 2010 oferecem-nos eleições. Tempo de possíveis mudanças. Mudanças não ocorrerão. Quem muda corre o risco de acidentes. Quem quer mudar? Não! Ninguém quer arriscar a mudar. É melhor deixar como está para ver como ficará. E sempre ficará do mesmo jeito.

Desastres naturais ou provocados. Guerras, muitas mortes. Seqüestros. O número de ladrões aumentou. Ultrapassou o índice de crescimento da população. Crimes bárbaros ocorreram. Nunca tantos pais mataram tantos filhos e filhas. Os filhos revidaram e mataram os pais. A família se desintegra a cada passo. A espécie humana está em extinção. Quanto maior o progresso, maior a barbárie.

A linha tênue que separava a ética e a moral dos costumes deixou de existir. Da praia do nudismo de "evangélicos" ao divórcio por telefone, tudo se tornou válido e aceito. O progresso em pecar e do pecado é fantástico. Tão fantástico que não há mais fantástico na vida.

A ciência continua progredindo. Novas descobertas anunciadas. O Universo "diminui" a cada dia que passa. Mesmo assim o câncer continua matando. O diabetes não tem cura. A hipertensão também não. Ainda se morre de tuberculose. Até mesmo de gripe ainda se morre. Ninguém conseguiu erradicar a AIDS. Embora seja o projeto que mais receba recursos dos governos. O número de desequilibrados emocionais e espirituais aumenta a cada novo dia. O gens da violência se propaga atingindo todos os níveis sociais. O medo é companheiro obrigatório e inseparável de todos os habitantes deste minúsculo planeta Terra. A religiosidade é confusa. Nunca se falou tanto de Deus. Nunca faltou tanto a presença e ação de Deus visível como nesta geração. Sobra religiosidade. Faltam conhecimento, comunhão, discernimento e fé verdadeira ao Criador. A espécie humana perece num processo de continua desagregação.

Ao adentrar 2010, a Convenção Batista Brasileira, em boa hora, termina ciclo temático sobre conhecimento e crescimento dos santos. O alvo era aperfeiçoar. Difícil computar aperfeiçoamento. É algo que funciona na esfera íntima e individual. Impede a terceiros de julgar se existe ou existiram resultados. Ficamos na suposição do julgamento pelos frutos. Mas até estes passam por qualidade diferenciada. O Tema propõe desafio a investir na ação evangelizadora. "O Aperfeiçoamento dos santos na obra da evangelização. " A divisa é sugestiva e desafiadora. "Convém que eu faça as obras daquele que me enviou enquanto é dia; a noite vem quando ninguém pode trabalhar". (Jo 9:4). A noite tem chegado para milhões de pessoas. São muitos os que estão partindo para a eternidade sem conhecer, por experiência pessoal, a vida oferecida por Jesus Cristo. Precisamos alcançá-los com as boas novas da salvação. Dizer-lhes que são bem-vindos a 2010 com nova perspectiva de vida. Apresentar-lhes a única esperança que resta: Jesus Cristo como Salvador e Senhor. O tempo urge. A noite chega, diz Jesus e não haverá mais tempo para trabalhar. Enquanto é dia somos desafiados a cumprir o Ide de Jesus.

Como Igreja local 2010 é o ano decisivo para o futuro do rebanho. Colocar um ponto final nas loucuras e mau testemunho do passado. Sepultar para sempre todos os resquícios e ranços que macularam a grei do Senhor nestes últimos anos. Deixar com a história o julgamento, no tempo próprio da história, o que foi escrito, realizado e destruído. Buscar de Deus uma nova visão de vida para o seu povo. Esquecer o que foi perdido, sem tentar recuperá-lo. Na convicção que Deus tem coisas melhores para dar aos que honram o seu nome. Vale aqui a experiência do profeta e sugestão que fez ao rei Amazias, registrada em II Crônicas 25:9.

Amazias, rei de Judá, estava em guerra com os edomitas. Alugou cem mil mercenários de Israel por cem talentos de para. 3.400 quilos. Um profeta, sem nome, veio ao rei e disse-lhe: "Ó rei, não deixes ir contigo o exército de Israel, porque o Senhor não é com Israel, a saber, os filhos de Efraim" II Cr 25:7. Como o pagamento fora adiantado, o rei preocupou-se com o prejuízo. "Que fará, pois, dos cem talentos de prata que dei as tropas de Israel?" II Cr 25.9). A preocupação não era com o padrão moral e espiritual dos mercenários. Mas com a prata. Isto continua ocorrendo hoje. Preocupamo-nos com as possibilidades de prejuízos materiais. Esquecemos dos valores espirituais que a prata não compra.

A resposta sábia do profeta continua válida hoje: "Mais tem o Senhor que te dar do que isso". II Cr 25:9.

Como Igreja precisamos neste novo ano aceitar alguns prejuízos materiais. Abrir mão de supostos direitos adquiridos. Não contratar mercenários para lutar as nossas guerras. Às vezes é preciso perder para ganhar o que permanece, diz Jesus ao referir-se à salvação da alma. Mt 16:25. Onde ninguém se dispõe a perder, todos perdem. Mas quando abrimos mão dos nossos supostos direitos, o reino de Deus ganha.

Façamos de 2010 o ano da EVANGELIZAÇÃO. Vamos levar aos nossos parentes, amigos, conhecidos e vizinhos a Boas Novas da salvação. Cada membro da Igreja aprimorando sua ação evangelizadora. Sendo instrumento dócil nas mãos do Espírito Santo para levar pessoas a Jesus e Jesus às pessoas.

Com este objetivo saudamos a chegada de 2010. Uma nova década. Um novo alvorecer. Uma nova vida. Um novo amanhecer a nos envolver como Igreja de Jesus Cristo. Uma nova Igreja.

Bem-vindos a 2010. A Igreja conta com o seu apoio.

www.pstorjuliosanches.org

__._,_.___

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente