// você está lendo...

Sem categoria

AC e DC

Estas siglas são antigas, mas foram cunhadas recentemente por Thomas Friedman, colunista do jornal norte americano The New York Times, em sua entrevista recente à Revista Exame, se referindo ao antes e depois do Corona Vírus. Ele afirmou que o mundo não será mais o mesmo. Concordo com ele em se tratando de uma parte da população mundial. Certamente muita gente continuará a mesma, com os mesmos hábitos, com os seus vícios de linguagem, consumo, estética, vaidade, religiosismo, egoísmo, avareza, ganância e outras práticas nefastas. Desejo usar a abordagem do Friedman sobre as siglas AC e DC, focando a Pessoa de Cristo. Isto significa que mais do que a História sendo dividida entre antes e depois dele, há uma história radicalmente mudada de cada pessoa que crê na suficiência do Salvador. Paulo ensina que “se alguém está em Cristo nova criatura ou criação é, as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo” (2 Coríntios 5.17). Jesus nos chamou de uma vida infeliz, sem propósito, vazia, para uma vida depois da experiência com Ele, feliz, com propósitos nobres e plena. Estar em Cristo faz toda a diferença. Sem querer subestimar o impacto do Corona vírus (a coroa da morte), quero enfatizar a Pessoa e a Obra de Cristo, que nos prometeu a coroa da vida (Tiago 1.12, Apocalipse 2.10).

A presença desse vírus avassalador certamente tem sido uma lição muito relevante para aqueles que não estão ou os que estão em Cristo Jesus (AC e DC), que têm ou não uma experiência genuína de conversão ou novo nascimento. O vírus colocou todos os seres humanos no mesmo patamar. Ele tem causado medo, pânico, insegurança e um sentimento de vulnerabilidade nunca visto antes na História. Também tem motivado as pessoas mais conscientes a uma vida mais solidária, simples, desapegada das coisas materiais e voltada para a reflexão ou para o examinar-se a si mesmo. Trouxe um impacto para os governantes e políticos de um modo geral. Além desse impacto, tem trazido lições para uma gestão mais vocacional, responsável, apaixonada, excelente e voltada para os que mais precisam. Tem mudado também a visão do que é realmente prioritário e necessário, trabalhando especialmente no planejamento estratégico e na prevenção. A máxima “quem falha em planejar, planeja falhar”, continua sendo verdadeira hoje.

Para os que estão em Cristo ou depois de uma experiência com Ele, uma real conversão ou regeneração (DC), o Corona Vírus tem indicado o que a Bíblia sempre ensinou. Jesus nunca nos enganou acerca dos eventos futuros (Mateus 24.1-14). Paulo mesmo nos alertou sobre essa época (2 Timóteo 3.1-5). O olhar do cristão autêntico é um olhar a partir da veracidade das Escrituras. O Espírito Santo ilumina o cristão genuíno a uma percepção madura desse tempo. O cristão autêntico está sempre alerta, sensível, tendo discernimento em relação ao tempo tumultuado, complicado e nebuloso que vivemos. A nossa convicção é que a companhia de Jesus Cristo é real, perceptível e caracterizada pela fé. Ele mesmo prometeu estar conosco todos os dias até à consumação dos séculos (Mateus 28.20). A nossa segurança está nele (João 6.37; 10.28). Nada nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus (Romanos 8.38,39). Para o jornalista norte americano, o AC e DC se referem ao antes e o depois do Corona Vírus, mas para nós, nascidos de novo, cristãos, filhos de Deus, essas siglas, na sua originalidade, revelam a diferença em ter ou não ter a Cristo. É aqui que se faz toda a diferença. O Corona Vírus perde todo o seu poder relativo e circunstancial para o poder absoluto e eterno de Jesus Cristo, Salvador e Senhor.

Temos consciência de que esse vírus não surgiu por acaso, mas com a permissão de Deus. Somos tomados da convicção de que o nosso Deus é Soberano e Senhor da História, perfeito em todos os Seus caminhos e benigno em todas as Suas obras (Salmo 145.17). Os Seus propósitos revelados nas Escrituras são conhecidos de nós. O nosso coração descansa tanto em relação aos propósitos revelados quanto aos não revelados (Deuteronômio 29.29). Devemos sempre sossegar o nosso coração no Senhor e esperar nele (Salmos 37.7). O fato de estarmos em Cristo traz paz, segurança, alegria e contentamento (João 14.27; João 10.28; Filipenses 4.4-20). Antes de Cristo, de uma experiência com Ele é desesperança, mas depois de uma vida nele é a esperança concretizada por Sua obra na cruz e ressurreição. Para nós, o coronam vitae ou a coroa da vida, como resultado de nossa experiência com Cristo Jesus, nosso Salvador e Senhor, é a verdade absoluta e sempre atual.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente

Links

Admin