// você está lendo...

Sem categoria

A QUE VENS, AMIGO?

Esta é a pergunta de Jesus a Judas Iscariotes, antes da traição (Mateus 26.50). A história revela que Jesus era amigo de Judas, mas este não era amigo de Jesus. O nosso Senhor é sempre o nosso melhor amigo. O problema não é Ele, mas nós. Não temos sido o seu amigo. Se somos verdadeiramente amigos dele, devemos fazer o que Ele mandou (João 15.13,14). A amizade de Jesus é medida por sua vida dada por nós. O Seu amor por nós o levou para a cruz. Ele morreu por nós. Ele é a expressão máxima do amor de Deus. Cremos que o amor de Deus em Cristo Jesus é incondicional.

Jesus é o nosso amigo inigualável. Ele está sempre presente e pronto as nos perdoar e encorajar no Espírito. Ele é o nosso referencial de amizade leal e sincera. A Sua amizade por nós não tem paralelo. Jesus Cristo prometeu estar com a gente todos os dias de nossas vidas até à consumação do século (Mateus 28.20). Sabermos que Jesus é o nosso amigo faz toda a diferença, pois Ele é o amigo sempre fiel, presente, dedicado, solidário e misericordioso. Ele é o Presente sempre presente em nossa história, em nossa peregrinação cristã.

Ter Jesus como amigo significa segurança e esperança. O relacionamento dele com a gente é marcado pelo amor incondicional. O amor que encoraja, acompanha, enriquece, fortalece e traz profunda alegria. Quando Paulo afirmou “para mim o viver é Cristo e o morrer, lucro” (Filipenses 1.21), ele deixou claro que o Mestre era tudo para ele. Na verdade, Cristo deve ser tudo em todos nós (Colossenses 3.11).

A que vens, amigo? Esta é uma pergunta inquietante e ao mesmo tempo reflexiva. Jesus é o amigo que não nos decepciona. É o amigo do peito, do coração. Aquele que faz milagres, que intervém em nossa história para muda-la completamente. Ele nos ajuda em nossas fraquezas, pois a Sua graça nos basta (2 Coríntios 12.9,10). Devemos nos gloriar NELE. Andarmos como Ele andou (1 João 2.6). O nosso coração deve descansar no Amigo verdadeiro. O Seu amor é incomparável. Ele conhece como ninguém a nossa estrutura humana.

A amizade de Jesus é altamente terapêutica. É um relacionamento que cura, restaura e firma os nossos passos. Jesus é o amigo pronto a direcionar nossas vidas. Ele sempre nos diz o que precisamos ouvir. É o amigo cuja vida é marcada pela cordialidade, solidariedade e autenticidade. É muito precioso termos a Cristo como um amigo perfeitamente confiável. Absolutamente digno. Ele é o nosso Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da paz (Isaias 9.6).

O Senhor Jesus é o nosso modelo de amigo amoroso, leal, sincero e solidário. A partir da nossa experiência com Cristo, podemos desenvolver amizades sinceras e desprovidas de segundas intenções. Precisamos fazer amigos! Sim, amigos de verdade! Amigos do coração! Ted Engstrom e Robert Larson, nos dão alguns passos de como podemos fazer amigos de verdade: 1) Desenvolva o tipo de amizade em que você nada exige em troca; 2) Faça um esforço deliberado e consciente de desenvolver um interesse autentico pelos outros; 3) Comemore com alegria o fato de que cada um de nós é uma criação singular e que, por isso, sempre será necessário tempo, talvez muito tempo, para podermos compreender uns aos outros; 4) Dedique-se como nunca a aprender a ouvir; 5) Acima de tudo, quando seu amigo precisar de você, simplesmente esteja presente, quer você saiba ou não o que fazer ou dizer; 6) Trate os outros com igualdade; 7) Empenhe-se em encorajar e elogiar sinceramente os outros; 8) Dê o primeiro lugar a seus amigos, colocando-se em segundo plano; 9) Ame a Deus de todo o coração, alma e força. E, então, ame seu próximo como a si mesmo; 10) Acima de tudo, valorize nos outros os pontos positivos e as qualidades, e não os defeitos e fraquezas.

Granjeemos amigos verdadeiros! Plantemos amizades sinceras. Que o Senhor nos livre de fazermos amigos movidos por mero interesse. Que o Senhor Jesus seja sempre o nosso exemplo de amigo a toda a prova. Sejamos amigos fieis, leais, dedicados, empáticos e profundamente compassivos. A vontade do nosso Pai é que sejamos amigos uns dos outros. Amigos que sonham e realizam sempre em favor das pessoas. Amigos solidários e prontos a servirem com o amor de Cristo Jesus. Deus é glorificado quando construímos amizades cujo fundamento é o amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta; o amor que jamais acaba (1 Coríntios 13.4-8). Que Cristo seja sempre a motivação e o referencial das nossas amizades!

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente