// você está lendo...

Sem categoria

A OBRA DE MISSÕES EXISTE PORQUE ADORAÇÃO NÃO EXISTE

Esta é uma afirmação do Dr. John Piper. Concordo plenamente. A obra de missões existe para levar o evangelho onde a adoração não existe. O Deus Missionário é o Deus que deve ser adorado sempre. A tarefa missionária existe enquanto Jesus não volta (Mt 24.14), mas a adoração continua no céu. Adorar a Deus é tributá-lo como Senhor, Soberano, Majestoso, que está num alto e sublime trono. O profeta Isaias, no seu chamado, teve a visão da Majestade de Deus (Is 6.1-8). O interessante aqui é que ele adorou a Deus nos versículos 1 a 7, onde houve a revelação clara do Senhor, uma consciência de pecado do profeta e a sua purificação realizada por Yahweh. No versículo 8, o profeta Isaias tem o seu chamado definido e atende o desafio do Senhor, a missão de anunciar a Sua mensagem ao mundo. A mensagem do Senhor, de que Ele deve ser adorado.

A obra de missões é real porque adoração NÃO existe. Jesus ensinou a Seus discípulos a adorar a Deus em espírito e em verdade (João 4.24). A mensagem central de missões é que o homem deve adorar a Deus por meio de Jesus Cristo. Isto será feito a partir da experiência do novo nascimento. O regenerado que recebeu a mensagem de transformação pela via missionária, tem prazer em adorar o autor da sua salvação. O Salmo 67 ensina que todos os povos devem louvar, agradecer e adorar a Deus e eles o farão por meio de Cristo Jesus, o Salvador. Aqui se encontra a centralidade da obra de missões que é levar a mensagem do evangelho para que o homem, transformado, possa adorar Àquele que o resgatou das trevas para a Sua maravilhosa luz. Deus promoveu a reconciliação do homem consigo por meio da obra de Cristo na cruz (2 Co 5.18-20).

A consciência de que somos adoradores deve nos levar à práxis da missio Dei. Temos de Deus a responsabilidade de proclamar todo o evangelho ao mundo todo para que tenhamos mais adoradores (Mc 16.15; At 1.8). Esta responsabilidade surge do nosso compromisso com toda a vontade de Deus revelada na Pessoa de Cristo. O evangelho é a boa notícia de que Deus nos amou de maneira tão forte, tão intensa e inigualável, que deu o Seu Filho por nós na cruz. Uma pessoa transformada pela iniciativa de Deus está comprometida com a adoração. Esta é a gênese de tudo o que fazemos para Deus. Missionar é levar a mensagem que torna o homem um adorador a partir do ensino de Cristo nos evangelhos. A nossa missão fundamental é adorarmos um Deus de amor inigualável e insubstituível. Realizamos missões porque adoramos a Deus e para que outros povos o façam também. Adoração não é efeito, mas causa. Aqui está o principio fundamental e motivador do nosso compromisso com missões.

A verdade de Deus anunciada pela pratica missionária deve gerar uma adoração verdadeira, espiritual, motivada por quem Deus é. Nós existimos porque Deus é. A tarefa missionária existe para que a adoração seja a essência do nosso relacionamento com o Senhor e os povos creiam nesta verdade. Os missionários, os investidores (de oração e recursos) e os administradores de missões devem ter a consciência da adoração fundamentada na Palavra. O Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus (Rm 8.16). A obra missionária testifica que é fruto de uma vocação para a adoração genuína. A nossa consciência de adoração nos permite ver a nossa incapacidade, a majestade do Senhor, a necessidade dos povos e a disponibilidade de irmos ao encontro deles. Abrão tomou posse da terra que o Senhor lhe havia dado. A primeira coisa que ele fez foi levantar um altar ao Senhor (Gn 12.7). A promessa da conquista tinha um principio subjacente: a adoração. Todo o substrato da práxis missionária aponta para a necessidade de adoração ao Senhor que é dono dos céus e da terra (Sl 24.1,2). Os servos que adoram realizam a obra do Senhor que deve ser adorado sempre e em todo o lugar.

Então, a obra de missões existe porque a adoração não existe. A nossa motivação e o nosso objetivo de proclamarmos ao mundo a salvação de Deus é a adoração. O Senhor tem prazer naqueles que o buscam de todo o coração. Ele tem prazer naqueles que O honram, que O amam de todo o coração, alma e entendimento e com todas as forças. Vale dizer que o ser para Deus precede o fazer para Ele. Adorar a Deus sinceramente é considera-lo como PRIORIDADE. Todo o nosso esforço missionário deve ser precedido pelo nosso prazer em adorar, reconhecer e tributar a Deus a honra, a glória, o louvor, a sabedoria pelos séculos dos séculos e levarmos este principio aos povos que não sabem o que é adoração. Aprecio muito o hino de adoração que Paulo deixou para nós em Romanos 11.33-36, especialmente o versículo 36: “Porque todas as coisas são dele, por ele e para ele. A Ele seja a glória eternamente! Amém”. A nossa visão e a nossa pratica missionárias dependerão do nosso tributo ao Senhor.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente