// você está lendo...

Sem categoria

A MORTE É UMA QUESTÃO DE TEMPO

Apocalipse 1.8: Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Jesus, Aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso”.

João 11.25, 26: Disse-lhes Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Crês isto?

1. A morte nos ensina algumas lições extremamente relevantes:

a) Que a morte é uma realidade, prova a nossa vulnerabilidade e nos revela um Deus com quem iremos prestar contas.

b) Que a morte de um servo de Jesus Cristo, filho de Deus e templo do Espírito Santo, tem uma garantia plena, segurança absoluta dAquele que é sempre fiel e não pode negar-se a si mesmo, 2 Timóteo 2.13.

c) Que ao homem cabe morrer uma só vez e depois disso vem o juízo, Hebreus 9.27.

d) Que todos aqueles que estão em Cristo Jesus estão absolutamente seguros no amor de Deus, Romanos 8.38,39,

e) Que a vida, seja curta ou longa, precisa ser vivida na perspectiva do Senhor, Criador e Sustentador de todas as coisas.

f) Que a morte física de um cristão autêntico, nascido de novo, acontece na realidade da vida eterna que Jesus prometeu aos que O recebem como Salvador e Senhor, João 1.12; 5.24.

g) Que a morte de um cristão genuíno, regenerado pelo Espírito Santo, tem a promessa, a garantia dada por Jesus que está garantido no céu, onde há segurança e paz absolutas, João 14.1,27.

h) Que a morte, na experiência de um cristão peregrino, caminhante com Jesus nas estradas difíceis da vida, nas aflições diárias, revela o bom combate, a carreira derradeira e a certeza da coroa da justiça, a qual, o justo Juiz, dará aos que lhe foram fiéis, 2 Timóteo 4.8,9.

2. A morte revela também uma grande verdade que é a questão do tempo e das oportunidades.

a) A saudade eterniza a presença de quem se foi. Com o tempo dor da perda se aquieta, se transforma em silêncio que espera, pelos braços da vida um dia reencontrar (Fabio de Melo).

b) Devemos remir, libertar o tempo da ociosidade, desperdício, porquanto os dias são maus, Efésios 5.16.

c) Trinta minutos, trinta dias, trinta anos. O que vale é a intensidade com que se vive!

d) Alguém afirmou: Matamos o tempo e o tempo nos sepulta.

e) Diante do tempo e das oportunidades, Deus deve ser sempre a nossa PRIORIDADE.

f) Porque o tempo é tão implacável, roubando-nos as oportunidades se não formos suficientemente rápidos para agarrá-las imediatamente? Liv Ulmann

g) Todos nós temos nossas máquinas de tempo. Algumas nos levam de volta, elas são chamadas recordações. Algumas nos levam adiante, elas são chamadas sonhos. Jeremy Irons

h) O tempo não para. Nós, muitas vezes, não temos consciência de que ele é um presente dado por Deus e que precisa ser usado com a sabedoria dEle.

i) Cada minuto que passa é um milagre que não se repete.

j) Tenho saudade do tempo em que as pessoas valorizavam mais o caráter que os bens materiais.

k) Sinto saudades do tempo em que a chuva não incomodava e o frio não era sentido!

l) Tudo tem uma razão e mesmo com saudade não podemos voltar no tempo, mas sim viver o presente.

m) Devemos viver cada dia como se fosse o último da nossa existência.

n) Em todo o tempo devemos descansar na fidelidade de Deus.

o) Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio (Salmos 90.12). O texto no original dá a entender que temos que prestar contas de nossos dias.

p) Já que cada dia é um presente de Deus para mim, vou vive-lo para Ele com todo entusiasmo.

q) O escritor Charles Swindoll conta uma história interessante:

“Faz alguns anos, um casal idoso foi ao Colorado para assistir a uma série de conferências sobre a vida cristã. Os filhos já estavam criados, e eles estavam vivendo anos outonais. Ambos eram crentes, mas ainda não haviam saído de sua concha, espiritualmente. O tema das conferências fora “Olhando para Jesus”, e esse assunto foi bem debatido durante toda a semana. Diante do apelo para uma consagração total a Cristo, eles resolveram colocar o Senhor no trono de sua vida. Decidiram que, houvesse o que houvesse, iriam seguir o Senhor fielmente, e não apenas em parte. E antes de começarem a longa viagem de volta à sua casa, os dois fizeram essa oração de consagração:

“Senhor, damos-te o primeiro lugar em nossa vida. Já vivemos muito tempo voltados para nós mesmos. Agora não queremos mais viver assim. Resolvemos viver toda a nossa vida por ti. Aconteça o que acontecer, o resto de nossos dias estão em tuas mãos”.

r) Diante da morte de alguém, de um irmão, amigo e até estranho, o Deus de perfeito amor em Cristo nos faz rever, no Espírito Santo, as nossas atitudes e os nossos atos, a avaliarmos o nosso proceder. Na verdade, somos confrontados, humilhados, amansados, percebendo a grande vulnerabilidade das nossas vidas. O acerto de contas virá e cada um de nós deve estar preparado. Não nos esqueçamos: A morte é uma questão de tempo.

Oswaldo Luiz Gomes Jacob, pastor.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook

Comente