// você está lendo...

Estudos

A integridade do líder

Vivemos num tempo de muita “concorrência” e, conseqüentemente, confusão no seio da igreja evangélica brasileira. Há líderes que tentam, de todas as formas possíveis e imagináveis, impor a sua personalidade. Fazem velada ou abertamente o culto à imagem. Não medem esforços para chegarem ao topo. Monopolizam pessoas para que seus objetivos sejam alcançados em nome da “obra de Deus”. Administram os recursos financeiros da comunidade conluiados com o seu “staff “sem prestar contas. Pregam que os fins justificam os meios. Muitos transformaram suas (e não de Cristo) igrejas em empresas rentáveis. Eles buscam métodos sofisticados e bem sucedidos que atraiam pessoas. Estão mais preocupados com os “Shows hollywoodianos” do que com a mensagem do genuíno evangelho da graça. Eles não têm escrúpulos. A teologia da prosperidade é o centro da mensagem. As frases de efeito “você pode”; “você exija de Deus”; “você não pode se conformar com esta situação”; “pare de sofrer”, etc, são normais nessas igrejas.

Na verdade, a realidade exposta acima revela desvio de caráter, falta de ética e integridade. Vivemos uma crise de integridade. Estou lendo mais uma vez “A Crise de Integridade” de Warren Wiersbe e estou alarmado de como a realidade da América e a daqui se fecham. É fato que temos recebido muita influencia de lá. As coisas boas e ruins vêm dos Estados Unidos. Ele chega a afirmar: “Nós, os cristãos, gabamo-nos de não nos envergonharmos do evangelho de Cristo, mas talvez esse evangelho se envergonhe de nós. Por alguma razão, nosso ministério não combina com a nossa mensagem. Algo está errado, quanto à integridade da Igreja”. 1 Aqui notamos que muitos líderes não estão sendo íntegros. Não somos íntegros em nosso relacionamento com Deus e com o próximo. Contatamos uma deformação de caráter em muitos lideres.

Precisamos definir o que significa integridade. Wiersbe nos ajuda aqui. “A palavra vem do latim integritas e quer dizer ‘inteireza física’, ‘inteireza moral’, ‘retidão’. A raiz da palavra integer, que significa ‘inteiro’, ‘completo’, ‘perfeito’. A integridade está para o caráter do individuo ou da empresa como a saúde está para o corpo ou como a visão perfeita está para os olhos. Uma pessoa integra não é dividida (o que é duplicidade) nem fingida (o que é hipocrisia). É ‘inteira’; a vida é harmoniosa e todas as coisas operam em harmonia. Pessoas de integridade nada têm a esconder e nada temem. Suas vidas são livros abertos. O Senhor Jesus descreveu integridade em Mateus 6.19-24: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. A lâmpada do corpo são os olhos. Se teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, se a luz que em ti há são trevas, quão grandes são essas trevas! Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas”.

Jesus deixou muito evidente que a integridade envolve toda a pessoa interior: o coração, a mente e a vontade. Toda a pessoa integra possui um coração honesto. Ananias e Safira não possuíam um coração honesto. Eles mentiram ao Espírito Santo. A história está em Atos 5. A integridade e Pedro e João é um contraste com a falta de integridade ou desonestidade de Ananias e Safira. A base da nossa integridade é “amar a Deus de todo o nosso coração” (Mt 22.37). É um coração inteiro que O serve. Não podemos ter um coração dobre, dividido ou esquizofrênico. Deus quer todo o nosso coração. Ele quer um coração coerente com a Sua vontade soberana. Um coração obediente. Coração sensível à Sua voz. “Integridade significa que a luz está brilhando no interior porque a pessoa (ou o grupo) possui um coração honesto, uma mente honesta e uma vontade honesta” 3. Precisamos ter, como lideres, a integridade de Neemias e de Jeremias, que não negociaram a sua fé e a sua missão. Pagaram o preço da sua honestidade. Gostaria de concluir esta reflexão com um texto primoroso de Jesus: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade!” (Mt 7.21-23). Estejamos atentos para os sábios ensinos do Mestre. Como lideres, sejamos íntegros em todo o nosso proceder. Que haja sempre coerência entre o nosso pensar, falar e agir para a glória de Deus!

Notas:
1 WIERSBE, Warren W. – A Crise de Integridade -, Editora Vida – 2ª. Impressão, SP.
2 Ibid.
3 Ibid.

Compartilhe e Aproveite:
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • del.icio.us
  • Live
  • Technorati
  • LinkedIn
  • Sphinn
  • email
  • Facebook
  1. Olá, eu gostaria de comprar esse livro do Wiersbe.
    Sabe onde posso encontrá-lo?

    prbruno@imshalom.org.br

    Postado por bruno | 24 de junho de 2014, 16:04

Comente